Estádio Olímpico de Cascavel não será mais palco de Paraná x Flamengo. (Osmar Antônio/Banda B)

A partida entre Paraná e Flamengo, em 21 de outubro, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro, não será mais realizada no Estádio Olímpico Regional, na cidade de Cascavel. A tendência é que o jogo seja mantido na Vila Capanema, em Curitiba.

“Nós enfrentamos alguns problemas aqui. Alguns laudos estão vencidos, recebemos a informação do Paraná que o Flamengo estava criando algumas dificuldades porque a nossa cidade não é atendida pela empresa aérea patrocinadora oficial e eles estavam pedindo um adicional em cima do custo que havia sido previamente combinado. Nós entendemos que seria uma grande oportunidade, estávamos nos preparando para fazer uma grande festa em Cascavel e o Paraná teria um bom retorno financeiramente na região”, lamentou o presidente do FC Cascavel, Valdinei Silva.

Na última terça-feira (02), o FC Cascavel divulgou a informação que a negociação já estava fechado e até divulgou os preços dos ingressos. A notícia não agradou ao presidente paranista, Leonardo Oliveira, e o clube cascavelense apagou a postagem pouco tempo depois.

Segundo o regulamento do Campeonato Brasileiro, os últimos cinco jogos como mandante não podem ser vendidos para fora do estado. Porém, não impede de negociar com outra cidade paranaense. Além do Flamengo, o Tricolor ainda joga em casa contra Vitória, Atlético-MG, Internacional e Palmeiras.

Mando de campo em outra cidade

O presidente Leonardo Oliveira disse, logo após ser reeleito na semana passada, que alguns conselheiros cogitaram a possibilidade de levar alguns mandos para o interior. Porém, a ideia é o próprio clube operar os jogos, sem vender para nenhum empresário.

“Inicialmente, não tínhamos a ideia de transferir nenhum jogo de Curitiba. Porém, na última reunião do Conselho, alguns conselheiros levantaram essa possibilidade, de ser viável financeiramente o clube operar alguns jogos no interior até para promover a marca e ter uma renda maior porque tivemos um decréscimo no número de sócios nos últimos dias. Tem várias pessoas fazendo contato para comprar jogos, mas a nossa ideia não é vender. Se for fazer, a ideia é operar alguns jogos no interior”, afirmou o presidente.