Zagueiro Fabrício é um dos poucos titulares do Paraná com contrato para 2020. (Rui Santos/Paraná Clube)

A situação do Paraná Clube é preocupante. A indefinição dos bastidores e o tempo perdido na busca por um investidor fez o Tricolor perder jogadores importantes para a próxima temporada. Além dos atletas que tiveram seus contratos com o time paranista se encerrando, nas últimas semanas, jogadores que tinham contrato acabaram sendo negociados ou solicitando a rescisão dos seus vínculos na Justiça.

Nesta sexta-feira (27), o goleiro Thiago Rodrigues, principal nome do Paraná na Série B deste ano, foi anunciado como reforço do CSA. Antes, o zagueiro Rodolfo, o atacante Jenison e o lateral-direito Éder Sciola pediram na Justiça seus desligamentos do clube. Somente o defensor fez um acordo, acertou com o Coritiba e 20% dos seus direitos econômicos ficaram com o Tricolor.

Além deles, o volante Luiz Otávio, titular em grande parte da segunda divisão deste ano, foi negociado com o empresário Eduardo Uram e foi mais um a se despedir do Paraná Clube. O lateral-direito Cristovam, que estava emprestado ao Ceará e tem contrato até dezembro de 2020, não deve retornar ao Tricolor e também deve ser negociado. O jogador confirmou à reportagem que tem algumas propostas e que está analisando.

Futuro

Assim, somente 11 jogadores ainda possuem contrato com o Paraná Clube. O goleiro Alisson, os zagueiros Fabrício – titular na reta final da Série B – e Fernando Timbó, o lateral Juninho, os volantes Jhonny Douglas e Luan, os meias Alesson e Jhemerson, além dos atacantes Rafael Furtado, Raphael Alemão e Warley devem iniciar a pré-temporada no dia 2 de janeiro.

Desta forma, o Paraná Clube deve solicitar que alguns jogadores que viajariam para a Copa São Paulo se apresentem com o restante do elenco do time profissional na semana que vem. Aliás, usar atletas da base pode ser a solução para o Tricolor iniciar a disputa do Campeonato Paranaense.