A semana foi marcada por tensão na Justiça entre o Paraná Clube e a União. Representado pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN), o governo federal enviou na quarta-feira (20) uma manifestação que agitou o processo de recuperação judicial (RJ) do Tricolor. A acusação era preocupante – o clube tinha faltado à uma reunião de renegociação das dívidas fiscais. E por isso não estaria cumprindo com as obrigações da RJ. O Paraná se defendeu também reclamando.

Em sua manifestação, assinada pela procuradora Dayane Capra Kloeckner, a PGFN informava que havia sido marcada uma audiência do Paraná Clube com a União para tratar da recomposição das dívidas públicas. Estas, que somam cerca de R$ 48 milhões, não entram na conta da recuperação judicial (que reduz o débito restante do Tricolor de R$ 126 milhões para R$ 68 mi). E completou a apresentação relatando a ausência paranista na reunião. E novamente argumentou sobre a viabilidade da RJ, pois não considera que o clube tenha condições de pagar suas obrigações.

A resposta do Paraná Clube foi protocolada no final da tarde de quinta (21). O Tricolor alegou à juíza Mariana Gusso, da 1ª Vara de Falências e Recuperação Judicial de Curitiba, que foi informado da reunião menos de 24 horas antes de ela acontecer, e que não foi possível comparecer. Em sua petição, o clube reforça que está disposto a pagar seus débitos e já pediu nova audiência com a PGFN para discutir a renegociação. Lembrando que o Paraná já tinha inclusive colocado anteriormente que colocaria o valor total da venda da SAF em juízo para quitas as dívidas com a União.

Bastidores do Paraná Clube

Internamente, o Paraná Clube segue tentando acelerar o processo de liberação da venda da sede da Kennedy. A Justiça já aceitou que um leilão seja realizado e que o valor total arrecadado seja repassado aos credores. Mas ainda é preciso de uma autorização da Prefeitura de Curitiba para que a sede seja alienada – por ter sido doada, a área por lei não pode ser negociada. Ao mesmo tempo, segue a discussão sobre o valor do lance mínimo e as conversas para a consolidação da SAF.

Sede das Varas de Fazenda Pública, Falências e Recuperação Judicial.
É neste prédio que se desenrola o processo de recuperação judicial do Paraná Clube. Foto: Reprodução/Google

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

União e Paraná Clube trocam farpas na Justiça

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.