Jorge Ferreira adaptou treinos e conseguiu performar atletas no ano da pandemia para o elenco principal. (Arquivo Pessoal)

O anúncio do cancelamento da Copa São Paulo de futebol Junior de 2021 pegou todos os 128 clubes que estariam representados na edição de surpresa. O Paraná Clube era uma das equipes inscritas para a disputa e levaria os atletas para concorrer na competição no ano que vem, mas precisou remanejar todo o seu planejamento. Em entrevista exclusiva à Banda B, Jorge Ferreira, coordenador das categorias de base do Tricolor contou o que tem sido feito após o anúncio.

“O nosso planejamento para a Copa São Paulo era utilizar a grande base da equipe sub-23 de aspirantes. 70% do elenco era formado por atletas que tinham idade para a disputar a taça, por isso já estávamos fazendo um trabalho em cima da competição. Tínhamos mais 12 atletas treinando na Vila Olímpica, separado, que iriam integrar esse grupo. E ainda alguns jogadores que estavam no Guarani de Palhoça (SC), emprestados ou do próprio Guarani, que iriam somar à equipe que iria para a Copa São Paulo”, explicou Jorge Ferreira.

No entanto, todo este cronograma e logística acabaram sendo alterados com a notícia do cancelamento da competição. “Quando a gente soube, optamos por suspender o contrato com aqueles atletas que tinham vínculo profissional e dar férias para aqueles que atletas que não tinham o contrato profissional e estavam treinando na Vila Olímpica. Como a gente saiu do Campeonato de Aspirantes Sub-23, assim acabou a nossa participação e também, infelizmente o nosso processo todo para a Copa São Paulo”, detalhou.

Prejuízo

A falta da Copinha gerou inclusive um impacto financeiro nas equipes que participariam da disputa. Para Jorge Ferreira “o prejuízo é enorme e imensurável, acho que é a maior competição de base do Brasil, onde os atletas são colocados em uma vitrine para serem observados e posteriormente negociados. Mas principalmente, na minha visão, a experiência que esses atletas tem com a Taça São Paulo, é um momento em que você consegue confrontar com equipes do futebol brasileiro, sai um pouquinho do seu estado. Sendo este o último degrau do atleta para subir para o futebol profissional”.

Segundo a Federação Paulista de Futebol (FPF) não haveria condições sanitárias para que a disputa ocorresse com segurança para os cerca de 3.800 jogadores inscritos. Por isso, para não prejudicar a saúde dos jovens a Copinha foi cancelada pela primeira vez, já que vinha sendo disputada ininterruptamente desde 1969, com a previsão de que os atletas nascidos em 2001 possam jogar em 2022, como forma de diminuir o impacto do cancelamento.

“Mesmo que a organização venha a liberar que os atletas 2001 participem também, vai se criar uma avalanche. Já atrapalho o 2002 que consequentemente atrapalha o processo do jogador de 2003 e assim consecutivamente. A gente não consegue calcular esse prejuízo, vamos tentar outras formas para que a gente possa terminar esse ciclo de preparação do atleta para que eles consigam chegar no profissional e desempenhar da melhor forma”, afirmou.

Balanço do ano

“Esse ano foi horrível, não só para a base, mas para o futebol em geral. Foi atípico e de muita tristeza pela pandemia, de muitas dúvidas, por não saber o que iria acontecer e até mesmo calcular o tamanho do vírus e até onde ele podia prejudicar o atleta e seus familiares. Mesmo assim tivemos duas competições, com a disputa do Catarinense da Segunda Divisão, onde o Paraná emprestou alguns atletas e eles puderam jogar o campeonato, e o Aspirantes Sub-23, que salvou o ano”, pontuou o coordenador das categorias de base do Tricolor.

Mas mesmo com todas as adversidades, jogadores como os atacantes Lucas Sene, Helbert, Makael e Luis Felipe, o lateral direito Paranhos, além do zagueiro Guilherme Lacerda e do volante Kriguer, que conseguiram subir da base e integrar o elenco principal. “Alguns atletas ainda conseguiram performar e mostrar o seu valor, em meio as adversidades, para que hoje possam estar compondo a equipe profissional. Então dentro desse ano todo atípico a gente consegue ainda salvar algumas situações”, concluiu.