Presidente Leonardo Oliveira trabalha para a terceirização do futebol do Paraná. (Geraldo Bubniak/AGB)

O Paraná negocia a terceirização do departamento de futebol com investidores estrangeiros. Uma reunião já foi agendada com a Justiça do Trabalho para apresentar o grupo. A ideia da diretoria paranista é resolver a situação o mais rápido possível para montar um time competitivo na disputa do Campeonato Paranaense e da Copa do Brasil.

A empresa I9 Football, de Paulo Acadrolli, entra como parte interessada no acordo do Paraná com os investidores. Eles já geriram clubes como Novo Hamburgo-RS e Juventus-SC. Uma empresa do mesmo grupo chamada I9 Card trabalhou no programa de sócios do Tricolor no começo da década.

De acordo com a Justiça do Trabalho, que abriu prazo para concorrência do arrendamento do departamento de futebol em dezembro de 2019, o interessado em assumir o futebol do Paraná precisa pagar R$ 2,3 milhões. O valor é para quitar os salários atrasados de jogadores e funcionários. Em alguns casos, o débito ainda é do mês de julho do ano passado.

Recentemente, o nome de Sérgio Malucelli, gestor do Londrina, apareceu como interessado em comandar o futebol paranista. Porém, o assunto não foi adiante. “O Sérgio tem os motivos dele e falou que licitação ele não ia fazer. Essas informações vazaram. Não sei o nome do advogado que foi conversar com o Sérgio e amedrontou o Sérgio. Mas a gente entendeu e procuramos fazer da melhor maneira e ele tem os motivos dele. Estava muito bem encaminhado. Agora, a gente tem que andar com as próprias pernas e tentar outra parceria que o presidente Leonardo [Oliveira] está buscando”, explicou o diretor de futebol do Paraná, Alex Brasil.