Refletores ficaram quase 60 minutos apagados durante a partida com o Náutico. (Geraldo Bubniak / AGB)

O Paraná Clube foi punido nesta quinta-feira (12) pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) que decidiu pela Quarta Comissão Disciplinar do STJD do Futebol que o clube tem responsabilidade pelo apagão ocorrido na partida contra o Náutico, na Vila Capanema, no dia 6 de outubro, pela 14ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

O Tricolor foi denunciado por infração ao artigo 211 do CBJD – “Deixar de manter o local que tenha indicado para realização do evento com infraestrutura necessária a assegurar plena garantia e segurança para sua realização” – e condenado a pagar uma multa de R$ 2 mil pelo apagão ocorrido na partida. Na súmula o árbitro Léo Simão narrou a queda de energia. “Aos 15 do segundo tempo houve uma queda de energia elétrica afetando a iluminação do gramado, sendo aguardado o tempo de 60 minutos até o restabelecimento completo”.

No julgamento realizado em sessão virtual, o Procurador Thiago Gonzalez afirmou que é “mesmo após utilizar o gerador o sistema volta a falhar e percebe-se que é uma falha do estádio. Mostra-se muito claramente que é uma falha no sistema de iluminação do estádio e não do fornecimento de energia. Me reportando a denúncia me parece claro que o clube deixou de manter o estádio em condições adequadas conforme a capitulação no artigo 211”.

O advogado do Paraná, Alessandro Kishino juntou provas de vídeo e documentais com matérias jornalísticas confirmando a queda de energia na cidade de Curitiba no horário da partida e negou que o estádio não tenha condições de receber partidas. O Tricolor ainda pode recorrer da decisão.