Sérgio Malucelli deve ser o novo investiro do Paraná Clube a partir da temporada de 2020. (Gustavo Oliveira/Londrina EC)

O Paraná Clube vive dias de definições nos seus bastidores. Com dificuldades financeiras, a diretoria estuda propostas de possíveis parceiros para a temporada de 2020. Assim, a terceirização do departamento de futebol será algo inevitável na realidade do Tricolor no ano que vem. O empresário Sergio Malucelli, até então gestor do Londrina, tem uma conversa adiantada para ser o homem forte do time paranista a partir do ano que vem.

Essa, na verdade, foi a maneira encontrada pelo Paraná Clube para parar de sofrer com a falta de recursos financeiros. Este foi um problema recorrente na temporada de 2019 e, diante da terceirização do departamento de futebol no ano que vem, isso não deverá se repetir.

Conversas com Sergio Malucelli estão acontecendo seguidamente nos últimos dias. Poucos detalhes separam um acordo definitivo entre o dono da SM Sports e a diretoria do Paraná Clube. A parceria abrangeria futebol profissional e categorias de base nos mesmos moldes do que aconteceu com o Londrina nos últimos anos.

Inclusive o percentual de possíveis negociações de jogadores estaria definido entre o Paraná Clube e o empresário. Mas essa não é a única proposta que o Tricolor tem em mãos. O empresário Eduardo Uram, investidor atualmente na Tombense, também teria feito uma proposta ao presidente Leonardo Oliveira.

A terceirização do departamento de futebol não dependeria da aprovação do Conselho Deliberativo do Paraná. Isto porque o clube está sob intervenção judicial e é o presidente Leonardo Oliveira o interventor no acordo realizado do ato trabalhista feito com a Justiça do Trabalho.

Sérgio Malucelli

Sérgio Malucelli está no Londrina desde 2011. Pegou o clube afundado em dívidas, mas conseguiu a recuperação do Tubarão. Montou times competitivos e levou a equipe londrinense de volta para a primeira divisão do Campeonato Paranaense, além de conseguir acessos no Campeonato Brasileiro.

Com exceção de 2019, quando caiu da Série B para a Série C, o Tubarão brigou algumas vezes pelo acesso à primeira divisão. Nos últimos dias, Malucelli afirmou que deixaria o Londrina, mesmo com o contrato se encerrando em dezembro de 2020. Pagará, então, uma multa de R$ 200 mil e uma dívida de R$ 1,5 milhão.