(Arquivo/Banda B)

A pandemia do coronavírus não interrompeu apenas a bola rolando no Paraná, mas também ‘emperrou’ as negociações com investidores estrangeiros, para uma possível parceria e terceirização do futebol paranista. Sem uma previsão de retorno das competições oficiais, o presidente do clube, Leonardo Oliveira, admitiu que o atual cenário esfriou as tratativas com a Total Sports (TSI), empresa britânica, que poderá gerir o futebol do Tricolor pelos próximos três anos.

Em entrevista à Banda B, Oliveira também analisou que, com a volta dos treinos no estado, há uma possibilidade de retorno de patrocínios e de recursos aos clubes paranaenses.”Esse é um momento de insegurança para todos e isso impede que algumas coisas evoluam, mas acredito que o retorno gradual pode ajudar financeiramente com patrocinadores, assim como nos possíveis acordos do Paraná com parcerias no departamento de futebol”, afirmou durante o programa Meio-dia Esportivo.

A parceria com a empresa inglesa foi aprovada, em fevereiro deste ano, pelo Conselho Deliberativo do Paraná, mas segue sem um acordo firmado entre as partes.

Gestão

Leonardo também fez um balanço sobre sua gestão desde 2015, quando assumiu o Paraná. Já em seu segundo mandato, o cartola paranista conseguiu a concessão pública da Vila Capanema por trinta anos (em um processo que se arrastava há década com a União), e ainda firmou o Ato Trabalhista junto à Justiça, que já extinguiu mais de 60% dos processos contra o clube. Em 2017, a gestão também conseguiu o acesso à Série A, após dez anos longe da elite nacional.

“Minha visão é de que o Paraná teve todas as ferramentas possíveis, durante a sua história, para não passar por algumas das dificuldades que viveu nos últimos tempos. Nossa gestão assumiu para tentar retomar o mínimo que o clube já havia conseguido nesses 30 anos e seguimos em recuperação. O torcedor muitas vezes não fica sabendo de situações internas e não vê o que tem sido feito no clube. Mas espero entregar o Paraná, para um próximo presidente, em uma condição ainda melhor que a atual”, completou.