Lesões dos zagueiros e apagão nos dois últimos jogos. Para Aal, é uma fase de má sorte, que vai passar. (Rui Santos/Paraná Clube)

O empate diante do Náutico, foi o quarto jogo seguido sem vitória do Paraná. Dos últimos 12 pontos disputados, o Tricolor conquistou apenas três. Mas principalmente nos duelos diante de Botafogo-SP e contra o Timbu, o apagão durante o segundo tempo, num momento em que a equipe paranista estava melhor em campo, pode ter prejudicado e impactado diretamente nos resultados.

‘’Algumas situações que estão acontecendo conosco são bem atípicas. Não em relação ao apagão, mas em relação a perda de atletas, lesões, perdemos três zagueiros em duas rodadas e isso acaba gerando uma dificuldade maior. Além disso, o apagão acabou esfriando o bom momento que vivíamos na partida, mas depois disso voltamos com intensidade e a mesma postura, buscando o gol o tempo todo, mas não soubemos aproveitar as oportunidades que tivemos. São situações que temos que trabalhar bem, principalmente a cabeça dos atletas para não perdemos a confiança e continuemos evoluindo ainda mais. São situações que nos fazem acreditar que estamos numa fase de má sorte, mas eu tenho certeza que vai passar’’, disse o técnico, em entrevista coletiva, após o jogo

Apesar da equipe sofrer poucos gols na competição, pela segunda partida seguida, o Paraná não pode contar com a dupla de zagueiros titulares. Salazar e Fabrício, estão no departamento médico. O reserva imediato do colombiano, Roberto fez apenas o terceiro jogo com a equipe, mas acabou se machucando ainda no primeiro tempo diante do Náutico. Sem opções de zagueiros no banco de reservas, Allan Aal, improvisou o volante Luan na zaga, o jogador de 31 anos se recuperou de lesão e não atuava desde agosto do ano passado. Para o técnico paranista, Luan cumpriu bem o papel tático e projeta a volta dos titulares do setor.

“O Luan é um primeiro volante, e tem a facilidade de atuar por ali. Ele tem uma boa bola aérea e temos que ter calma em relação ao mercado, pois os atletas lesionados, em breve podem estar à disposição. Se fosse uma lesão grave e que necessitasse de intervenção cirúrgica, seria o caso. Salazar deve estar a disposição para o próximo jogo. Já o Fabrício se não for para Maceió, deve ter condições nos próximos jogos”, avaliou Aal

Com o empate, o Tricolor chegou aos 23 pontos, e deixou o G4 da competição após 12 rodadas consecutivas. Para encontrar o caminho das vitórias, o Paraná volta a campo, no próximo sábado (10), às 18h30 diante do CSA, em Maceió.