Por Rodrigo Dornelles com informações de Monique Vilela

Beto Amorim (ao centro) volta ao clube após 5 anos. (Geraldo Bubniak/ futebolparanaense.net)Beto Amorim (ao centro) volta ao clube após 5 anos. (Geraldo Bubniak)

O torcedor do Paraná espera que em 2016 as coisas aconteçam de uma maneira diferente ao que ocorreu em 2015. O desejo pelo acesso à Série A do Brasileirão já se estende por longos anos e o clube trabalha a cada temporada para voltar à elite do futebol brasileiro. Para que no campo, as coisas mudem, o Tricolor terá novidades fora das quatro linhas. Beto Amorim retorna ao clube para exercer novamente a função de gerente de futebol. E o diretor vê um futuro promissor para a equipe e entende que o trabalho está no caminho certo.

Depois de sair do Paraná em 2010, quando ocupava exatamente o mesmo cargo que terá novamente, Amorim volta ao Tricolor em um momento de recuperação do clube. “Foi um convite da direção, eles me mostraram o projeto par o ano que vem e eu fiquei bem feliz de saber que o clube está em um bom caminho e espero fazer um bom trabalho para que os objetivos traçados para o próximo ano
sejam alcançados”, disse o gerente.

Para o diretor paranista, apesar de dentro de campo a equipe ter passado por dificuldades, o ano de 2015 foi importante para o Tricolor fora das quatro linhas. “A direção conseguiu reconquistar credibilidade dentro do mercado de atletas, do futebol, e tem procurado se reestruturar. Lógico que não dá para você resolver todos os problemas de uma vez só. Muitas coisas já foram sanadas no decorrer deste ano”, afirmou Beto Amorim.

Com o processo de reestruturação, Amorim projeta um futuro promissor para o Paraná. “A tendência é que as coisas comecem a se encaixar cada vez mais e a gente possa realmente ver no horizonte um futuro promissor. Tenho visto com bons olhos tudo que tem sido feito e o fato de ter sido convidado para participar deste momento de recuperação do clube eu fico muito lisonjeado”, comentou o dirigente.

Em relação aos atletas que serão contratados para formar o time paranista em 2016, o gerente de futebol tricolor garante que o importante é o jogador ter ambição. “Na verdade não é questão de bom e barato, é verificar se o atleta se enquadra no perfil do clube. às vezes você tem um atleta caro que não tem ambição, e tem um atleta barato que não tem ambição. Esse é o perfil que a gente procura, atletas independente da condição desde que esteja, lógico, dentro do perfil do clube, financeiro também, mas que sejam atletas que realmente pensem em crescer, em vencer, em conquistas, que é isso que a gente está procurando. Sem dúvida nenhuma que a escolha dos atletas é um momento delicado e essencial para que o projeto que está sendo traçado seja concluído”, avaliou Beto Amorim.

Se ainda está em busca de jogadores, o Paraná já sabe quem será o seu treinador para a próxima temporada, e é um velho conhecido tanto da torcida paranista, quanto do novo gerente de futebol do clube. “É até engraçado, porque quando ouve contato com o Claudinei (Oliveira, técnico), eu não tinha definido nada de futuro, tinha outro compromisso inclusive, e de repente fiquei feliz quando tive a possibilidade de acertar e saber que ele era o nome ao qual a diretoria estava em busca. É uma pessoa que eu conheço a bastante tempo, inclusive ele é de Santos também, eu sou nascido em Santos e o conheço por anos. Tivemos a oportunidade de trabalhar juntos como atletas, a gente tem uma afinidade muito grande e no que eu puder ajudá-lo, não vou medir esforços, porque o sucesso dele será o sucesso do clube e todos nós vamos ganhar com isso”, declarou Beto Amorim.