Carlos Dias. (Geraldo Bubniak/AGB)

Foram apenas dez jogos pelo time profissional, mas certamente o volante Carlos Dias, de apenas 20 anos, vai deixar muitas saudades no torcedor do Paraná Clube. Paranista de coração e identificado com o clube, o jogador foi negociado com o Apoel, do Chipre e já está na Europa para realizar um sonho de criança. Em entrevista exclusiva à Banda B, o jogador afirmou que saiu com um sentimento de gratidão e lembrou das dificuldades enfrentadas para conseguir chegar até aqui.

“O sentimento é só de agradecimento por tudo o que fizeram por mim, por terem acreditado no meu potencial. Fiquei um tempo parado por conta de uma cirurgia no joelho e eles acreditaram e renovaram meu contrato. Fiz uma boa Copa São Paulo, pude chegar ao profissional e o clube me deu toda a estrutura possível. Só tenho que agradecer muito por tudo, por ser o clube que eu torço desde pequeno. Vou estar sempre na torcida e serei sempre grato”, afirmou Carlos Dias, que deixou um recado ao torcedor paranista.

“O recado que deixo ao torcedor paranista é de agradecer eles. Sempre me incentivaram dando toda moral possível. Sempre mandando mensagem após os jogos elogiando e tenho um carinho enorme por essa torcida. Desde a base muitos torcedores me acompanham e só tenho a agradecer por tudo”, prosseguiu.

Dificuldades

Carlos Dias passou por muitas dificuldades. Natural de Rio Negro, interior do Paraná, chegou em Curitiba muito cedo. Perseverou, nunca se abalou com as dificuldades e agora está tendo a oportunidade de atuar no futebol europeu. O volante também destacou a importância que a sua mãe, Adriane Oliveira, teve para que seus sonhos se tornassem realidade.

“O ano que eu fiquei parado foi o pior da minha vida. Agradeço a Deus pelas oportunidades, por essa que estou tendo agora e também a minha mãe, por sempre ter me incentivado, por ter me dado força para eu ficar tranquilo que as coisas iriam melhorar. Hoje estão melhorando e ela esteve sempre ao meu lado nos momentos difíceis. Está sendo uma satisfação enorme poder ver o que passei lá atrás e ver hoje chegar aqui. Sonhava desde pequeno jogar na Europa e todas as dificuldades que passei, hoje, estão valendo a pena”, reforçou Carlos Dias.

Rápida ascensão na carreira

O volante Carlos Dias, depois de fazer uma grande Copa São Paulo, foi chamado pelo técnico Allan Aal para subir ao time profissional. A estreia foi logo no clássico contra o Athletico, na Arena da Baixada e o então camisa 5 já mostrou a que veio. Ganhou rapidamente a titularidade e caiu nas graças do torcedor paranista. Ascensão que culminou com a negociação com o Apoel, do Chipre.

“Estou muito feliz por estar realizando grandes coisas que almejava desde o ano passado. Fiz uma boa Copa São Paulo, subi ao profissional e consegui trabalhar forte, conseguir jogar e fazer bons jogos em partidas difíceis. É a realização de um sonho estar indo para a Europa. Um sonho de pequeno da maioria das crianças, que é de jogar em clubes europeus e de jogar grandes competições, como a Europa Liga, a Champions League. Só penso em buscar sempre o melhor. Para mim e para o clube que estou representando. Sempre almejar coisas grandes para ser um grande jogador”, arrematou Carlos Dias.