O técnico Rogério Micale fala em entrevista coletiva após derrota para o Guarani, na Vila Capanema. (Rui Santos / Paraná Clube)

Com uma derrota amarga na Vila Capanema, nesta terça-feira (24), por 2 a 1 para o Guarani, o Paraná continua a sequência ruim na Série B. Sob o comando de Rogério Micale, o Tricolor ainda não venceu na competição e o treinador destaca que os resultados trazem um clima de peso para o grupo e até quando a equipe joga bem acaba perdendo pelo fator sorte no futebol.

Analisando o jogo, que chegou a estar empatado, o técnico paranista definiu como inacreditável. “Esta palavra é a maior correta possível, porque nós estamos vivendo um momento onde a gente não pode dar ao adversário uma oportunidade, que a gente está saindo prejudicados em relação a isso. Tivemos um primeiro tempo onde o volume de jogo do Guarani foi maior que o nosso, nós apostamos em transições e sabia que eles trabalhavam em bloco alto. [Opamos] em algumas ligações, umas bolas diretas para passar pela primeira linha defensiva. Não funcionou tanto no primeiro tempo, eles conseguiram ficar com a bola. Mas no segundo tempo não, nos corrigimos alguns posicionamentos, principalmente de marcação, onde eles faziam uma linha de cinco na frente, e praticamente eles não estraram e nós crescemos no jogo”, avaliou o treinador.

Sobre o resultado, o técnico acredita na injustiça pela produção que o Paraná conseguiu no segundo momento do jogo. “Tivemos algumas chances, fizemos o gol do empate, poderíamos antes do gol deles, ter feito o gol da vitória. Mas o futebol não é justo, eu acho que até o empate caberia, para as duas equipes pelo o que demonstraram. Mas uma derrota, da forma que foi, no final do jogo, em um lance inusitado, uma situação que parece até inacreditável”, disse Micale.

O treinador paranista, afirmou ainda que deve continuar rodando o grupo até que encontre um 11 ideal, mesmo com os resultados negativos ele tem observado atuações positivas e pretende traduzir isso em resultado. Mirando a próxima partida, Rogério Micale destaca que será necessário buscar a vitória mais do que nunca. “É vencer, a gente precisa vencer até jogando mal. A vitória para gente é um ponto de alívio, para poder sair deste desconforto enorme. Contra o Operário a gente vai pensar e estudar o time. Tudo é possível, a gente sempre tenta colocar aquilo que a gente tem de melhor no momento. Dependemos até de exames para poder escalar, por isso a única certeza é que temos certeza que podemos sair desta situação e continuar trabalhando. É muito difícil vencer um jogo na série B, depois que você entra em um momento como esse de grande oscilação. Mas é buscar forças e dar uma resposta”, concluiu.

Paraná tem o Operário pela frente na sequência da Série B, pela 24ª rodada da competição, na próxima sexta-feira (27), no Germano Krüger, às 19h15.