Por Pedro Melo com informações de Monique Vilela

Gusso terá três desfalques para o jogo de volta. (Monique Vilela/Banda B)Gusso terá três desfalques para o jogo de volta. (Monique Vilela/Banda B)

O Paraná ficou no empate em 0 a 0 contra o Operário e agora terá que decidir a vaga nas semifinais do Campeonato Paranaense na cidade de Ponta Grossa. Após a partida, o técnico Luciano Gusso lamentou a expulsão do atacante Rossi durante o melhor momento do Tricolor nos 90 minutos.

Gusso estava pronto para realizar uma substituição no momento que o Tricolor ficou com dez jogadores em campo e por conta disso lastimou o cartão vermelho de Rossi. “Em nenhum momento estou culpando o Rossi, mas estavamos dominando a equipe do Operário. Queria fazer três atacantes naquele momento, mas tive que repensar”, disse.

Mesmo com o empate sem gols, o treinador afirmou que nada está perdido já que o confronto será decidido em 180 minutos e o jogo do Couto Pereira foi apenas a primeira parte. “Claro que buscávamos a vitória, mas quando se trata de mata-mata, são dois jogos. O planejamento continua para conquistarmos a classificação. A dificuldade da viagem não justifica nada”, comentou.

De acordo com o técnico, a longa viagem para Riachão do Jacuípe não foi um motivo para o empate e quer que o elenco descanse ao máximo para a decisão da próxima quarta-feira (08). “Sabíamos que iriamos encontrar dificuldade nesse aspecto. Gostei da dedicação dos atletas, então, agora é trabalhar para o jogo de quarta-feira, mesmo sem muito tempo de descanso”, explicou.

Para a partida de volta, Gusso não contará com Netinho e Jean, suspensos pelo terceiro cartão amarelo, e o atacante Rossi, que foi expulso, e precisará mudar na escalação. “Vou ter que pensar bastante. Tem algumas posições que procuro mexer o mínimo possível. Se é da posição, entra automaticamente o reserva, mas eu preciso dar uma pensada, porque ainda estou com a partida na cabeça”, finalizou.