Foto: Reprodução/Instagram

Um dos jogadores mais regulares do Paraná Clube em 2020, o volante Kaio está seguindo os passos do seu irmão gêmeo, o lateral-esquerdo Kaike, que defendeu as cores do Tricolor na temporada de 2017. Os irmãos, que saíram de Várzea Grande, Mato Grosso, com o sonho de brilhar nos gramados, esperam por um ano de sucesso nas suas equipes. Enquanto no time paranista Kaio vai tentar conquistar o acesso à primeira divisão, Kaike, pelo Criciúma, vai buscar o retorno à Série B de 2021.

Juntos, os irmãos jogaram juntos apenas nas escolinhas e nas categorias de base do Juventude. Ainda nas categorias de base, cada um tomou um rumo diferente. Kaio foi para o Grêmio e Kaike para o Internacional. Passaram, então, a se enfrentar no maior clássico do futebol gaúcho. Desde então, nos gramados, nunca mais se reencontraram, sendo defendendo o mesmo lado ou jogando contra. Mas o contato dos gêmeos é diário e ainda muito forte.

“A relação com meu irmão é muito boa. Crescemos juntos e a gente tem um contato muito forte um com o outro. Tudo no que diz respeito a relação profissional, estamos sempre trocando ideias e informações. Minhas vinda ao Paraná passou pela opinião dele. Perguntei como era o clube e ele me deu boas referências. Foi uma segurança maior para que eu pudesse vir ao Paraná e desempenhar meu melhor futebol”, apontou o volante Kaio, em entrevista exclusiva à Banda B.

“Se pudesse ter uma palavra que definisse mais do que irmão. Somos muito próximos. Nosso contato é diário. Está sendo muito gratificante ver o Kaio no Paraná, clube que eu tive uma passagem breve em 2017. Fico muito feliz por ele estar nesse clube, que é grande nacionalmente, tem história, uma camisa pesada. Fico muito feliz por ele estar conseguindo desempenhar um bom futebol”, emendou Kaike, em entrevista à Banda B.

O bom futebol que Kaio apresentou neste começo de 2020, na verdade, garantiu a titularidade do setor de contenção do Paraná Clube ao lado do volante Carlos Dias. Está sendo a volta por cima do camisa 8 paranista que, no ano passado, quando foi emprestado ao Sport, conviveu com algumas lesões e fez apenas quatro partidas em toda a temporada de 2019.

“Todo jogador quer jogar, tem a vontade de sempre estar jogando. Fico muito feliz e contente por ele. No ano passado ele não teve muitas oportunidades e vem tendo esse ano. Ele conseguiu ter uma sequência de jogos muito boa, está muito feliz e desempenhando um bom futebol no Paraná”, enfatizou Kaike.

Apesar de estar seguindo os passos de Kaike vestindo a camisa do Paraná Clube, Kaio vê algumas diferenças nesse início de trajetória que está tendo pelo Tricolor. O camisa 8, na verdade, iniciou uma temporada e já igualou a quantidade de partidas que seu irmão gêmeo fez pelo time paranista na curta passagem que teve em 2017.

“São situações diferentes. Cheguei no começo da temporada e temos metas para cumprur. Tenho objetivos pessoais, mas antes deles temos objetivos como clube, como grupo. Então, acho que isso prevalece. Cumprindo essas metas e objetivos e, obviamente tendo um bom desempenho dentro de campos, as coisas vão acontecer naturalmente e a gente consegue construir passo a passo para entrar na história do clube”, reforçou Kaio.

Sonho

Os irmãos gêmeos, aos 25 anos, ainda querem realizar mais um sonho: conseguir jogar juntos, agora profissionalmente. Isso só aconteceu nas categorias de base quando defendiam as cores do Juventude. “Depois da base, cada um seguiu seu destino, sua trajetória. Particularmente, tenho esse sonho de, quem sabe, se Deus nos der a oportunidade, de jogar junto com ele novamente agora no profissional”, contou Kaio.

Sonho que é compartilhado também por Kaike. O lateral, atualmente no Criciúma, lembrou dos tempos de Juventude e também quando se enfrentaram nos clássicos entre Grêmio e Inter, mas ainda quer voltar a dividir os gramados com Kaio.

“É um sonho nosso. Se realizou na base, mas no profissional não. Tivemos um feito muito grande na base, quando atuamos contra no clássico Grenal e eu fico com aquela imagem na cabeça, quando vi ele do outro lado, por tudo o que passou, que correu atrás, ver ele em um grande público, que era o Grêmio na época. Ficou realmente marcado e temos esse sonho de jogarmos juntos, agora profissionalmente”, comentou Kaike.

Histórias

Por serem gêmeos idênticos, Kaio e Kaike tem diversas histórias inusitadas nos tempos de base, quando jogaram juntos ou foram adversários em campo. “Quando cheguei em Caxias do Sul e o Kaio já estava no Juventude, entrei no estádio com as malas e os companheiros de equipe dele acharam que o Kaio estava indo embora. Comecei a rir e aí ele apareceu e falou que eu era seu irmão gêmeo. Ninguém sabia e falaram que éramos, mesmo, muito parecidos. Demos muitas risadas”, lembrou Kaike.

Já o volante Kaio guarda na lembrança uma história quando os dois se enfrentaram em um Grenal válido pelas categorias de base. “Era final de campeonato. Cada um chegou com sua delegação, com seu time. Tivemos o confronto e a rivalidade era muito grande entre Inter e Grêmio. O jogo acabou 2×2, no final da partida a gente se abraçou, desejamos boa sorte um para o outro. Depois, ao sair dos vestiários, fomos embora juntos, porque a gente morava junto e ficou marcado para mim isso”, contou o volante paranista.

Acesso duplo

A meta agora dos irmãos e terminar essa temporada com um duplo acesso. Kaio vai buscar ajudar o Paraná a voltar à primeira divisão, enquanto Kaike vai tentar recolocar o Criciúma na Série B do Campeonato Brasileiro de 2021. “É para isso que a gente está trabalhando. Estou também em um clube grande, que é o Criciúma. Um grupo legal, com jogadores de muita qualidade e que vai brigar pelo acesso. Se chegarmos com dois acessos na família será muito gratificante”, comentou Kaike.

Além disso, o lateral acredita que 2020 será um ano especial para o volante Kaio vestindo a camisa do Paraná Clube. “Desejo toda a felicidade do mundo para o meu irmão, na sua carreira e na sua vida pessoal, para a sua família. Que ele nunca perca o foco. Sou fã de carteirinha dele, estou torcendo muito por ele e creio que será realmente uma grande temporada para o Kaio”, finalizou.