Tecnico Gilmar Dal Pozzo (Geraldo Bubniak /AGB)

Paraná Clube venceu apenas duas partidas nas últimas 14 rodadas, e termina o ano de 2020 dentro da zona de rebaixamento, após ser derrotado pela Chapecoense, na última segunda-feira (28), por 2 a 0 na Arena Condá, em Chapecó. Agora o foco da equipe paranista é no seu próximo adversário, o Botafogo de Ribeirão Preto.

Para o técnico Gilmar Dal Pozzo, que precisa fazer a equipe vencer quatro e empatar uma partida das próximas sete, o clima de decisão será ainda maior em janeiro. “Vai ser uma guerra, contra o Botafogo será esse cenário que a gente está esperando. É vida ou morte para o Botafogo e para o Paraná, vai ser uma guerra e é dessa forma que a gente vai encarar”, explicou o treinador.

Com algumas alterações e a adaptação de Philipe Maia como um primeiro volante, o técnico destacou que foi preciso fazer as mudanças em virtude da saída de Jhony Douglas e outras ausências no elenco. “A gente está com esperança que podemos voltar para esse jogo, estamos evoluindo e vamos esperar um posicionamento do departamento médico. Nosso planejamento continua, já foi feito há mais ou menos uns 20 dias, antes do natal. Nós trabalhamos no natal e agora no ano novo. A equipe é envolvida, os jogadores trabalham e se dedicam, a questão é mental desses erros que os atletas estão cometendo e que está influenciando diretamente no resultado”, completou.

O jogo válido pela 32ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro está marcado para o dia 4 de janeiro, às 17h, na Vila Capanema. O confronto com o Botafogo de Ribeirão Preto será direto e o Tricolor precisa vencer para somar pontos e tentar contar com a sorte para que seus adversários sejam derrotados. Paraná tem hoje 32 pontos e é o 18º colocado, já o time paulista tem 26 pontos na 19ª posição na tabela.