Por Pedro Melo

Paraná levou a melhor sobre o Atlético na última rodada da primeira fase. (Robson Mafra/Divulgação/Paraná)

O clássico entre Paraná e Atlético só acontecerá neste domingo (02), na Arena da Baixada, a partir das 16h, mas já começou fora de campo. Os torcedores paranistas provocaram os atleticanos logo depois da vitória na última quarta-feira (29) que quase eliminou o rival. Já do lado rubro-negro, o atacante Nikão também aproveitou o clima para cutucar o adversário.

Durante entrevista no CT do Caju, Nikão afirmou que o Tricolor joga apenas no contra-ataque e ainda utilizou o termo “bagunça organizada” para se referir ao time paranista. “Desejávamos enfrentar o Paraná logo nas quartas de final pelas circunstâncias que aconteceram no jogo passado. Eles até pensaram que a gente estava eliminado, mas creio que vamos entrar fortes e esperamos fazer um grande jogo”, declarou.

“O Paraná joga muito fechado, buscando encaixar um contra-ataque e todo mundo volta para atrás do meio-campo para marcar. É meio que uma bagunça organizada. A equipe deles está bem treinada, eles estão com confiança e parabéns para eles. Se perguntassem se preferia jogar com o Cascavel, com todo respeito, ou o Paraná, claro que falaríamos o Paraná”, complementou o atacante atleticano.

Já os paranistas evitaram qualquer tipo de polêmica sobre o assunto e o zagueiro Eduardo Brock afirmou que a declaração do atacante adversário não vai influenciar em nada dentro de campo. “É a opinião dele. O jogo vai mostrar tudo se nós vamos fazer um bom jogo ou não, isso é que vai definir. Não tem polêmica e é apenas a opinião de um jogador”, ressaltou.

O técnico Wagner Lopes também encarou com naturalidade a provocação antes do clássico e destacou que Nikão deve ter se equivocado na frase. “Ele não quis dizer e deve ter se expressado mal. Faz parte do folclore do futebol e é uma disputa sadia essa rivalidade. O futebol está muito chato e encaro com naturalidade. A gente precisa jogar o jogo, mas respeitar o adversário. Precisamos dessa rivalidade”, falou.

As escalações

Como o jogo pela Libertadores é apenas no dia 12 de abril, o técnico Paulo Autuori confirmou que vai escalar mais uma vez todo o time titular no jogo de ida, com exceção de Carlos Alberto, Pablo e Grafite, que ainda estão no departamento médico. A grande novidade deve ser a entrada de Matheus Rossetto no lugar de Felipe Gedoz e Crysan permanece no trio de ataque ao lado de Nikão e Eduardo da Silva.

Ainda sem ter uma grande atuação durante a temporada, o treinador acredita que a oscilação dentro de campo é normal e lembrou que o elenco ainda não completou sequer três meses de trabalho no ano. “Será praticamente a mesma equipe. O mais importante para nós é que vamos voltar a jogar pela Libertadores no dia 12 de abril e não teremos o Pablo e o Gedoz. No dia seguinte, vamos completar três meses de trabalho e neste período vamos ter jogado duas competições. Os objetivos estão aí para nós atingirmos e a oscilação é natural”, disse.

Do lado paranista, Wagner Lopes conta com o retorno de cinco jogadores que cumpriram suspensão no último clássico: os laterais Diego Tavares e Kaike, o zagueiro Brock, o volante Gabriel Dias e o meia Alex Santana. Todos retornam ao time titular.

De resto, o comandante prefere aguardar a recuperação física dos atletas e só vai divulgar a escalação paranista uma hora antes da bola rolar. “Não é questão de esconder, muito pelo contrário. É mais por problemas de fisiologia. O Zezinho teve uma pancada forte no joelho, está bastante inchado, então precisamos de reavaliação médica disso. Tem o CK de alguns atletas que tiveram uma avaliação significativa. Então temos que reavaliar algumas situações”, explicou.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO X PARANÁ

Local: Arena da Baixada, Curitiba (PR).
Data: 02 de abril de 2017.
Horário: 16h.
Árbitro: Felipe Gomes da Silva (PR).
Assistentes: Diego Grubba Schitkovski (PR) e Luiz Paulo Galli (PR).

Atlético: Weverton; Jonathan, Thiago Heleno, Paulo André e Sidcley; Otávio, Matheus Rossetto e Lucho González; Nikão, Crysan e Eduardo da Silva.
Técnico: Paulo Autuori.

Paraná: Léo; Diego Tavares, Airton, Eduardo Brock e Kaike; Gabriel Dias, Alex Santana, Renatinho e Guilherme Biteco (Júnior); Robson e Ítalo (Felipe Alves).
Técnico: Wagner Lopes.