Alisson. (Rodrigo Sanches/Paraná Clube)

O Paraná precisa reverter a vantagem obtida pelo Coritiba para conquistar a vaga à semifinal do Campeonato Paranaense. Confiante na classificação, o goleiro Alisson lembra de momentos em que o time paranista se viu em momentos complicados e teve bons desempenhos.

Alisson destacou a virada por 3 a 2 sobre o Bahia de Feira, quando o Paraná perdia por 2 a 0, e a vitória por 1 a 0 sobre o Operário. “Nosso time quando for colocado à prova em situações difíceis, teve bons desempenhos e resultados. Só ver os desempenhos contra Bahia de Feira, Botafogo e Operário. Independentemente do jogo ser fora ou não, creio que a gente vai fazer um grande jogo e sair com a classificação”, disse.

“Diretoria e comissão montaram um time muito competitivo. Muitos jogadores vieram com uma identidade para alcançar grandes coisas aqui. Tiveram algumas situações, como o jogo do Bahia de Feira, que nosso time for colocado à prova. Eu acredito muito na classificação e no time, porque a gente teve outras situações que deu uma resposta positiva e pela identidade do nosso grupo”, acrescentou o camisa 1.

O goleiro paranista ainda destacou que o time terá que se expor para conquistar a vitória no clássico. “Vai depender muito do que o professor passar para a gente em relação à nossa postura. Obviamente que por estar atrás no placar, vamos ter que nos expor um pouco mais e nós lá atrás vamos ter que segurar mais e ter um nível de atenção muito. Vamos esperar o que o professor vai passar para ganhar o jogo que é a única saída para a classificação”, analisou.

Possibilidade de pênaltis

Se o Paraná vencer por um gol de diferença, a decisão vai para os pênaltis. Alisson garante que está se preparando para possíveis penalidades desde que soube do retorno do Campeonato Paranaense. “Pênalti em si já teve em jogo rolando, mas estou me preparando bastante. No momento que soube que ia voltar o Paranaense e a Copa do Brasil, eu sabia que esses campeonatos poderiam levar as decisões para os pênaltis. Já tive experiências em base e até no profissional. Vou dar o meu melhor se isso acontecer”, comentou.

“A responsabilidade é para os dois lados. Creio que para o goleiro é uma situação que se consegue defender dois ou três pênaltis, acaba ajudando muito o time. Se não defender, vai depender dos batedores. Venho trabalhando e se vier a acontecer, vou dar o meu melhor para nosso time a sair com a classificação”, complementou o goleiro.