Técnico Allan Aal não ficou satisfeito com a atuação da equipe diante do Botafogo (Divulgação/Paraná Clube)

A derrota para o Botafogo foi a terceira do Paraná na Série B. De forma prática, o Tricolor começou o jogo perdendo, pois sofreu o gol, logo no primeiro minuto da partida. É bem verdade, que o Tricolor estava desfalcado da dupla de zagueiros considerados titulares. Roberto e Hurtado haviam atuado juntos em apenas 45 minutos, no empate diante da Chapecoense. O tropeço pode tirar a equipe de Allan Aal do G4 da competição

“É difícil de digerir, principalmente pensando nas chances que nos criamos. Entramos, de uma certa maneira, desconcentrados na partida e sofremos defensivamente, mas do que costumeiramente agente sofre. Não tiro mérito do Botafogo, mas, sofremos mais por desatenções nossas do que pela criação de jogadas do Botafogo. São situações que temos que trabalhar melhor, e saber que qualquer descuido, mesmo jogando melhor que o adversário, você acaba pagando o preço de uma derrota que é muito difícil de digerir”, avaliou o comandante paranista.

Se o Paraná ficou 12 dias sem jogar, em compensação, realizou nesta sexta-feira (02), o terceiro jogo em seis dias, incluindo duas viagens. Marcado pela intensidade durante os jogos, o Paraná não conseguiu repetir as atuações de partidas anteriores. “O calor de 31 graus na cidade de Ribeirão Preto e a sequência de jogos, será um motivo para conversarmos com o departamento de fisiologia para avaliar a condição física dos atletas para o próximo jogo.  Podemos dar uma oxigenada em alguns atletas e rodar o elenco para recuperar o futebol com intensidade e muitas trocas de passes, independente da maneira que o adversário se poste em campo “, ponderou Allan Aal.

O Paraná permanece com 22 pontos, e  volta a campo na próxima terça-feira (06) diante do Náutico, às 19h15, na Vila Capanema, em partida válida pelo 14ª rodada da Série B.