Dado Cavalcanti fará mudança no setor ofensivo (Felipe Dalke/Banda B)

Sem poder contar com Caio Rangel, o técnico Dado Cavalcanti terá que fazer ao menos uma mudança no Paraná para encarar o Rio Branco, no domingo (17), no litoral paranaense. Sem revelar qual será a estratégia ofensiva da equipe, o treinador mantém a disputa em aberto no ataque e vai priorizar os últimos treinos para escolher quem inicia a partida.

“Daqui para o jogo eu ainda tenho três sessões de treinamento. Ainda está em aberto, não tem uma definição. Já tenho na minha cabeça em tentar mexer o mínimo possível na estrutura. Claro que se for necessário fazer trocas mais bruscas, irei fazer. O mais importante é o modelo como nos apresentamos e isso tem que ser mantido independente de quem for entrar em campo”, explicou o comandante em entrevista coletiva.

Podendo utilizar também Keslley ou Jhemerson atuando nas beiradas, Dado Cavalcanti afirma que essas não são as únicas alternativas e que estuda também outras formas de montar o onze inicial. “Tem outras possibilidades. Foram citados os dois como homens de lado de campo, mas a minha dúvida ainda envolve outros jogadores. Não descarto a possibilidade do Alesson ir para os lados, nem do Juninho dobrar com o Guilherme [Santos], como foi no jogo”, disse.

Caso opte por deslocar Alesson, como já atuou na Taça Barcímio Sicupira, o treinador fará mudança no meio-campo. “Eu trabalhei bastante com o Alesson pelos lados e ele jogou o primeiro turno assim. Isso é apenas uma questão de posicionamento inicial. Ele sempre teve oportunidade para fazer funções por dentro do campo. Contra o Foz ele foi decisivo desta forma. É um jogador versátil, fico tranquilo de tê-lo em campo. Para mim, ele é importante neste sentido”, finalizou.

Confira a entrevista coletiva do técnico Dado Cavalcanti:

Dado Cavalcanti em coletiva no Ninho da Gralha

Posted by Esporte Banda B on Thursday, March 14, 2019