A Banda B apresenta uma série de reportagens sobre quatro personagens importantes do futebol paranaense: Joaquim Américo Guimarães, Antônio Couto Pereira, Durival Britto e Silva, e Érton Coelho Queiroz. O quarteto dá nome aos principais estádios de Curitiba.

Quem foi Durival de Britto e Silva?

Durival de Britto e Silva. (Arquivo/Museu Paranista)

O militar Durival Britto e Silva nasceu em Aracaju, no Sergipe, em 28 de abril de 1895, e morreu em 1º de junho de 1954, aos 59 anos. Ele foi diretor da Rede de Viação Paraná-Santa Catarina (RVPSC), antecessora da Rede Ferroviária Federal (RFFSA). Foi durante a sua administração que o estádio do Clube Atlético Ferroviário, atualmente do Paraná Clube, foi construído. A inauguração aconteceu em 1947 e o local foi sede da Copa do Mundo de 1950.

De acordo com James Skroch, do Museu Paranista, a ideia em construir o estádio veio justamente de uma conversa entre Durival Britto e Silva e sua esposa durante um jogo do Ferroviário no estádio do Coritiba, na época chamado de Belfort Duarte. “No início de 1940, Durival de Britto e Silva se transferiu para Curitiba para assuir o cargo de diretor da da Rede de Viação Paraná-Santa Catarina. Foi nessa época que ele começou a acompanhar os jogos do Clube Atlético Ferroviário”, contou.

“Em um desses jogos junto com a sua esposa, no estádio do Coritiba, a esposa do Durival comentou que tinha que construir um estádio melhor para os jogadores. Diz a lenda que teve a ideia da construção do estádio. As obras começaram no final de 1942, início de 1943. Era um período muito difícil, a Segunda Guerra Mundial estava acontecendo na Europa”, acrescentou.

Primeira partida do estádio

Estádio Durival Britto e Silva era um dos maiores no Brasil na época em que foi inaugurado. (Assessoria de imprensa/Paraná Clube)

A primeira partida da Vila Capanema aconteceu no dia 23 de janeiro de 1947 partida entre Ferroviário e Fluminense. O responsável por inaugurar oficialmente o novo estádio foi justamente Durival Britto e Silva, na época presidente de honra do Ferroviário.

Na inauguração, a Vila Capanema era o terceiro maior estádio do Brasil, atrás de Pacaembu, em São Paulo, e São Januário, no Rio de Janeiro. A praça esportiva recebeu dois jogos da Copa do Mundo de 1950.

Visão atual do estádio Durival de Britto e Silva. (Geraldo Bubniak/AGB)

Anos depois, a Vila Capanema foi casa do Colorado e, desde 1989, é palco dos jogos do Paraná Clube. Uma reinauguração aconteceu em 2006, com a ampliação da capacidade de 12.100 para 20.083 espectadores e uma série de reformas para modernização do local.

Conheça o trabalho do Museu Paranista