Marcelo pode ganhar uma vaga no ataque do Paraná. (Geraldo Bubniak/AGB)

Com um aproveitamento ruim do ataque até agora na temporada – 7 gols em 9 jogos – , o Paraná Clube vai precisar de gols no duelo decisivo e único contra o Bahia de Feira de Santana, nesta quarta-feira (26), às 19h15, na Vila Capanema, valendo a vaga para a terceira fase da Copa do Brasil e R$ 1,5 milhão. Por isso, há a possibilidade do técnico Allan Aal mexer no ataque paranista. Destaque nas últimas partidas, o atacante Marcelo está pedindo passagem na equipe e pode ganhar uma chance diante dos baianos.

“É um bom início (de trajetória com a camisa do Paraná). Felizmente comecei jogando o último jogo. A gente deixa a opção para o treinador. O que for melhor para o Paraná ele vai fazer. Somente 11 entram em campo e o que ele escalar vai ser ótimo para o Paraná”, afirmou Marcelo.

O jogador foi titular pela primeira vez diante do PSTC, quando o técnico Allan Aal optou por escalar todo o time reserva visando a partida contra o Bahia de Feira de Santana. Marcelo foi bem na partida mais uma vez e perdeu uma grande chance no primeiro tempo do duelo realizado em Cornélio Procópio. “O goleiro foi bastante feliz na minha bola e agora vamos trabalhar e focar no jogo de quarta-feira que será muito importante para nós”, emendou.

Para encarar o Bahia de Feira de Santana, o técnico Allan Aal pode mexer no ataque. Diante de mais uma atuação ruim do atacante Rodrigo Rodrigues, que inclusive foi expulso no início do segundo tempo, a tendência é de que o camisa 9 deixe a equipe. Assim, Raphael Alemão pode atuar mais centralizado.

Assim, abriria uma vaga para um atacante de lado. Andrey está voltando de lesão. Robson, em recuperação, também não deverá ter condições de jogo e, assim, Marcelo pode ganhar uma oportunidade de atuar desde o início do jogo mais importante até agora do Paraná Clube na temporada de 2020.