Gilmar Dal PozzoGilmar Dal Pozzo. (Geraldo Bubniak/AGB)

A derrota em casa para o Brasil de Pelotas não estava nos planos do Paraná. Com o resultado negativo, o Tricolor se mantém muito próximo da zona de rebaixamento. Por isso, o técnico Gilmar Dal Pozzo admitiu que a equipe tem a “obrigação” de vencer a líder Chapeocnese na segunda-feira (28), às 20h, na Arena Condá.

“Dois confrontos diretos [Figueirense e Brasil de Pelotas] e precisava empatar se não vencer. Tem que pontuar nesses confrontos diretos. Não produzimos tanto contra o Figueirense e merecíamos pelo menos o empate. Mas hoje merecíamos o empate ou a vitória pelo que apresentamos. A gente não teve a capacidade de definição e ficamos na obrigação agora de vencer o líder”, afirmou Dal Pozzo.

Para o treinador, os bons desempenhos desde que a sua chegada servem de parâmetro para confiar na vitória diante da Chapecoense. “É um jogo difícil, mas temos que nos apegar ao desempenho. Fizemos um grande jogo contra o América-MG. Temos possibilidade de conseguir um grande resultado para compensar os resultados com Figueirense e Brasil”, disse.

Medo do rebaixamento

Com a mesma pontuação de Figueirense e Náutico, primeiros times na zona de rebaixamento, o Paraná disputa a permanência nas últimas rodadas da Série B. Dal Pozzo admitiu que tem medo do rebaixamento, mas que a única solução é o trabalho.

“Também tenho medo. O frio na barriga é normal, mas tenho coragem para enfrentar a situação. Nós, que estamos no dia a dia, buscamos a solução. O único caminho é o trabalho. Erros nos passes e nas tomadas de decisão individuais dos atletas definem a partida. Isso que vou cobrar o grupo. A gente pode passar tranquilidade para o torcedor que tem desempenho e vejo uma luz no fundo do túnel. Só depende de nós que podemos vencer a partida com a Chapecoense”, comentou o técnico.