Foto: Luiz Kozak/Banda B

Em entrevista coletiva após o empate por 0x0, contra o Cuiabá, na Vila Capanema, o gerente de futebol do Paraná Clube, Alex Brasil, reclamou da atuação do trio de arbitragem durante os noventa minutos e afirmou que o clube enviará, nos próximos dias, uma representação junto à Comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Há menos de um mês no cargo, Brasil afirmou que essa não é a primeira vez que o Tricolor é prejudicado em casa. “Eu venho aqui em respeito ao nosso torcedor, porque o Paraná já foi anteriormente atrapalhado, antes mesmo da minha chegada. Só quero dizer que entraremos com uma representação junto à CBF pois não vamos mais admitir erros contra o nosso trabalho”, disse o gerente de futebol.

O Paraná reclama de um pênalti não marcado em Bruno Rodrigues, além de outra penalidade assinalada pelo juiz Luiz César de Oliveira Magalhães a favor do Cuiabá. No lance, Thiago Rodrigues defendeu e garantiu um ponto para o Paraná.

“Nem vou falar do pênalti contra o meu time, mas sim daquele que não foi marcado a nosso favor. Eu peço aqui que a arbitragem no Brasil seja profissionalizada. Sou um dos maiores defensores nesse sentido. É inadmissível que um juiz apite um jogo aqui e viaje depois para o Ceará, em uma grande distância em tão pouco tempo. As coisas precisam melhorar”, analisou Alex.

Questionado sobre o VAR, o profissional defendeu a implantação, mas admite que essa ainda não é a realidade da Série B. “O custo da tecnologia nos impede agora, mas podemos partir da profissionalização para que um legado comece a ser criado no país”, acrescentou o gerente.

Tropeços

Alex Brasil também comentou sobre a falta de vitórias do Paraná dentro da Vila Capanema. “O psicológico tem atrapalhado bastante, mas o nosso futebol tem melhorado dentro de campo. A lesão do vitinho abalou um pouco o vestiário, mas na segunda etapa jogamos, fomos agressivos e demonstramos um bom futebol. Erros acontecem, é claro, mas temos um tempo para melhorar”, finalizou.