Alex Brasil. (Felipe Dalke/Banda B)

Em casa, mas trabalhando visualizando já o retorno as atividades depois que passar a pandemia do novo coronavírus. Tem sido assim a rotina do diretor de futebol do Paraná Clube, Alex Brasil, que está em quarentena ao lado da sua família, em São Paulo. O dirigente comentou de que forma esse novo cenário mundial tem impactado no trabalho do dia a dia do Tricolor, especialmente no que diz respeito a busca por reforços para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro.

“Claro que acaba impactando porque a gente fica preso sem saber do andamento das coisas, de que forma fazer. Porém, vamos fazendo nossos contatos, temos feito nossos relatórios esperando as definições dessa pandemia para que a gente possa tocar normalmente nossas vidas, nossos trabalhos e para que toda a população possa estar bem”, afirmou Alex Brasil em entrevista exclusiva à Banda B.

O dirigente também comentou das incertezas que pairam no ar nesse momento quanto a continuidade da temporada. “Não temos ainda uma noção do que pode acontecer. Estamos mantendo o contato com os atletas. Eles vêm fazendo o trabalho deles. É difícil colocar qualquer coisa no momento. Dentro daquilo que planejamos, estamos atentos para tomar as decisões só no momento que tiver alguma definição”, emendou.

Campeonato Paranaense

Sobre o Campeonato Paranaense, Alex Brasil acredita que se não houver datas para a realização da fase decisiva, a competição não deverá ter um campeão. “Vai ficar chato ficar um ano sem um campeão. Entendo a situação dos clubes do interior de não ter calendário. Existem pessoas que podem definir, mas tudo vai partir da maneira que for acontecer o Campeonato Brasileiro das Séries A e B. Em cima disso terá a definição das finais dos estaduais. É triste, mas se isso ocorrer, será por uma causa especial. Estamos vivendo um momento muito difícil. É um momento de ter bom senso”, destacou Alex Brasil.

Mudança no Brasileirão

Dependendo do retorno as atividades depois da pandemia do novo coronavírus, Alex Brasil acredita que a melhor medida a ser tomada é a mudança do regulamento do Campeonato Brasileiro para se adequar as quantidades de datas disponíveis até o final da temporada.

“Vejo com bons olhos. Acho válido. Os estaduais precisam ser valorizados. Se for uma mudança benéfica, independente do que eles façam, vejo com bons olhos. O futebol precisa disso: união e bom senso nesse momento. Para que todas as partes fiquem felizes e para dar o espetáculo que os torcedores merecem”, finalizou.