Márcio Coelho estreou com derrota pelo Tricolor. (Divulgação/Paraná Clube)

Paraná Clube perdeu para o Náutico por 2 a 1 nos Aflitos, nesta sexta (8), em jogo válido pela 33ª rodada e se complicou ainda mais na zona de rebaixamento. Com 33 pontos, o Paraná é o 18º colocado e fica a quatro pontos do Vitória, primeiro time fora da ZR, já o Náutico soma 38 pontos e sobe para a 15ª posição, deixando a zona.

A noite de derrota foi também de estreia do técnico Márcio Coelho, que promoveu grandes mudanças na escalação titular, tendo um primeiro tempo de bastante pressão e ritmo de jogo, mas na segunda etapa oscilou de cedeu a vitória ao Timbu. Em sua primeira coletiva pós jogo, o técnico paranista avaliou o resultado e a atuação do Tricolor nos Aflitos.

“É frustrante mais uma derrota na competição, em uma partida onde a gente sabia da importância do duelo, mas infelizmente a gente acabou não sustentando o resultado que a gente saiu na frente. Tomamos os gols, o Renan ainda nos ajudando pegando dois pênaltis e infelizmente a gente sai com um resultado muito ruim daqui”, destacou Márcio Coelho.

Com um gol de Hurtado, o Tricolor saiu na frente, mas oscilou na criação e na defesa e acabou tomando a virada no segundo tempo. Para o treinador, houve um entendimento da proposta, mas o mérito acabou sendo do Náutico em aproveitar a bola rolando.

“A proposta em termos de marcação a gente estava oferecendo espaço para eles que era no campo deles, mas no nosso campo a gente acabava recuperando a posse de bola e tentando explorar o espaço que eles deixavam. Só que a gente não aproveitando as oportunidades que o Náutico deixou, acabava saindo e não matando o jogo. Infelizmente eles foram muito competentes com a bola rolando, competência que eles não tiveram nos pênaltis, dando mérito para o Renan também, mas eles foram muito competentes na finalização e a chance que a gente teve acabamos não matando”, explicou.

Sobre as alterações feitas, no intervalo e no segundo tempo, com as entradas de Juninho, Biteco, Kazu, Jean e Bruno Gomes, o treinador garantiu que tentou mudar a postura do time e buscar o resultado, inclusive colocando a equipe mais a frente para tentar reverter o placar.

“Hoje a gente perdeu o Karl, que vinha atuando como primeiro volante. O Méritão, como é um jogador que tem um refino técnico, acabamos colocando ele nessa função. Para que ele recuperasse a bola e tivesse saída para explorar as costas do Náutico. A troca no intervalo foi bem nessa proposta, para a gente fazer uma dobra do lado esquerdo, diminuir as subidas deles e colocar o Jean, para ganhar um pouquinho mais de profundidade. Depois colocamos Kazu e o Bruno Gomes, para tentar recuperar o meio de campo, colocar o Bruno de lado para tentar criar uma dobra. Acabou não trazendo resultado, mas foram essas as ideias. Depois colocamos o Juninho para tentar colocar o time mais para frente e arriscar, o resultado não favorecia, o 2 a 1 não interessava então a gente tentou colocar a equipe um pouquinho mais para frente”, analisou.

Para o torcedor, Márcio Coelho afirma que “a gente entrou no vestiário e, é claro, como seres humanos que somos a gente sente. Mais do que ninguém, os jogadores queriam sair daqui com a vitória. Se eles não estivessem nem aí, ficaria mais preocupado como líder. Ficou mais difícil sim, mas foi o que eu coloquei por eles, temos que viver jogo a jogo, dia a dia, não ficar fazendo projeções. O que a gente precisa é na terça-feira ganhar esse jogo para voltar a ter esperança”.

Próximo confronto do Paraná é o CSA, em jogo válido pela 34ª rodada da Série B, às 19h, na Vila Capanema, na terça-feira (12).