Treinador tenta blindar psicológico do elenco e diz que é preciso pensar jogo após jogo. (Divulgação/Paraná Clube)

Márcio Coelho assumiu o Paraná Clube com a difícil missão de livrar o Tricolor do rebaixamento. Com 33 pontos, o Paraná é o 18º colocado na tabela de classificação da Série B, permanecendo, pelo menos mais esta rodada, na zona de rebaixamento. Após a derrota para o Náutico, o alerta vermelho acendeu para o time paranista, que precisa somar pontos, antes de contar com a combinação de resultados de outras partidas.

“A estratégia é focar no dia, não ficar vivendo o futuro, o que tiver que acontecer a gente vai tentar construir. Então é nessa tecla que a gente está batendo. É claro que o fantasma do rebaixamento assombra, mas a gente não foi rebaixado ainda. Tem muita gente já dizendo que já aconteceu, mas é o que eu estou dizendo para eles. A gente precisa viver o dia, competir contra o CSA, ganhar esse jogo, que é fundamental. Recuperar a confiança em casa, para se colocar de novo no campeonato, a gente precisa dessa vitória para pressionar as equipes que estão ali na nossa frente na tabela”, analisou o técnico paranista.

Sobre as falhas individuais que têm custado a vitória para o Paraná, Márcio diz que é preciso arrumar os “detalhezinhos que a gente vai tentar corrigir com vídeo. Temos pouco de trabalho para o próximo jogo, mas ninguém está tendo tempo também. Vamos tentar posicionar e ajustar essas situações. A gente tem também a volta de dois jogadores na linha de defesa, O Paulo Henrique e Rafael Lima, isso acaba dando uma sustentação um pouquinho maior. É corrigir estes detalhes para conseguir estancar, para que a gente não precise ter que fazer 2 a 3 gols para ganhar o jogo”.

O próximo adversário do Tricolor é o CSA, que vem até Curitiba jogar na Vila Capanema, reduto paranista, às 19h, da próxima terça-feira (12), em partida válida pela 34ª rodada. A equipe de Alagoas acabou empatando sem gols com o Figueirense e permanece no G4, mas luta por uma vaga na Série A e por isso chega necessitando da vitória.

Para o técnico, agora é preciso “analisar um pouco o CSA, vamos ver como ele se coloca na tabela também, como que ele vai vir para o jogo de terça-feira. Tentar com os retornos, bolar uma estratégia para que a gente consiga controlar um pouco mais o jogo, ter mais a bola no pé, ser mais agressivo na marcação. Para que a gente consiga neutralizar o CSA  e consiga impor um pouco o nosso jogo dentro de casa”, completou.