Zagueiro Fabrício em entrevista coletiva. (Divulgação/Paraná Clube)

Paraná Clube tem pela frente um dos grandes desafios desta reta final da Série B do Campeonato Brasileiro. Precisando de quatro vitórias e um empate para chegar ao número mágico para evitar o rebaixamento, o Tricolor viajou até Chapecó onde enfrenta a vice líder da competição. A Chapecoense busca reassumir a liderança e só a vitória importa, no lado paranista a situação exige os três pontos para voltar a subir na tabela e se livrar da ZR na 31ª rodada.

Em entrevista exclusiva à Banda B, o zagueiro Fabrício falou que o grupo está blindado e que busca o resultado positivo independente dos adversários e que a matemática é simples, somar 45 pontos e garantir a permanência do Tricolor na Série B.

“A gente sabe da dificuldade que está sendo e dos erros gigantescos e repetitivos que cometemos. Eu principalmente sofri muito porque fiquei fora, nunca passei por isso, uma sequência de três lesões, contando com o Covid, consecutivas. Mas eu tenho certeza que o padrão que o professor está passando para a gente se enquadra muito com as características que a gente tem. E a gente está reconquistando essa identidade novamente com o professor Gilmar e eu tenho certeza que as coisas vão começar a acontecer”.

Com uma campanha irregular dentro de casa, a aposta do Paraná Clube poderá ser no erro da equipe catarinense. “A gente sabe do potencial deles, estudamos bastante eles, como creio que eles também estudaram a gente. Vai ser um jogo bastante difícil, bastante brigado, são duas equipes que marcam muito forte. A nossa estratégia está bem definida, para poder anular as bolas deles e conseguir o resultado positivo. Sabemos da qualidade deles, mas também sabemos da nossa”, afirmou o zagueiro.

Sobre as atuações que acabaram não encaixando o toque final e por consequência não se transformaram em vitórias, Fabrício ressalta que “o time está se enquadrando a postura do professor Gilmar, a gente tem feito bons jogos. O último contra o Brasil acredito que tivemos um bom jogo, mas não conseguimos reverter em placar. Então é acreditar nesse trabalho do professor, nesta postura que ele tem passado para a gente, para ela ser bem feita amanhã e para voltarmos a conquistar a vitória”.

Apesar do peso de enfrentar um time no topo da tabela, o capitão paranista acredita em um resultado positivo fora de casa para terminar 2020 fora da zona de rebaixamento. “A gente depende só da gente, tem que fazer o nosso trabalho, independente de com quem e contra quem a gente está concorrendo. Então a gente tem que fazer o nosso trabalho, entrar em campo, porque a situação é ruim, mas só depende da gente para sair dela”.

O jogo válido pela 31ª rodada, acontece às 20h na Arena Condá, em Santa Catarina, o adversário é a Chapecoense com 59 pontos na segunda colocação, podendo assumir a liderança em caso de vitória. O Paraná Clube soma hoje 32 pontos, na 18ª posição e só depende dele para sair da zona da degola.