Fantasma ficou no empate com o Cuiabá (José Tramontin/OFEC)

Em um jogo eletrizante, ficou tudo tudo igual no jogo de ida da decisão da Série C. O Operário chegou a abrir dois de vantagem, sofreu a virada, mas conseguiu empatar com o Cuiabá, em 3 a 3, na tarde deste sábado (16), no Germano Krüger, em Ponta Grossa, nos primeiros 90 minutos da final.

A partida teve todos os contornos de um duelo decisivo. Diante de mais de 6 mil pessoas na Vila Oficinas, um duelo de seis gols, bastante movimentado e com direito a confusão generalizada no fim. Com a igualdade no placar, fica tudo em aberto para o duelo de volta, no próximo sábado (22), às 19h, na Arena Pantanal, em Cuiabá-MT.

O jogo

Sem nem dar tempo para o adversário respirar em campo, o Operário tratou de inaugurar o placar aos 25 segundos de jogo. Na saída de bola, o time da casa se lançou ao ataque e Dione bateu cruzado no canto direito do goleiro Victor Souza para balançar as redes dos visitantes.

Após o gol sofrido no início da partida, o Cuiabá tentou pressionar em bolas aéreas, mas as cabeçadas de João Carlos e Marino passaram perto da trave. Melhor para o Operário, que ampliou o placar na reta final, aos 45 minutos. Cleyton fez boa jogada e acionou Danilo Baia, que cruzou na medida para Erick, de cabeça, marcar o segundo gol da equipe da casa. Pouco depois, nos acréscimos, Adriano Pardal quase descontou carimbando a trave dos mandantes.

Se o primeiro tempo foi dos sonhos para o Fantasma, a etapa final foi para ser esquecida. O pesadelo alvinegro teve nome: Marino. Primeiro, aos três minutos, ele recebeu passe de Jenison e bateu firme, da entrada da área, sem chances para o goleiro Simão. Mais tarde, aos 19, após cobrança de escanteio, a bola sobrou para o camisa 8 escorar de cabeça e empatar o jogo.

Embalado com a igualdade, o Cuiabá se lançou para cima e conseguiu a virada. Aos 23 minutos, Eduardo Ramos cruzou na área e encontrou Jenison. De cabeça, o camisa 9 mandou para o fundo das redes e colocou os visitantes na frente.

Precisando correr atrás do prejuízo, o Operário quase viu o Cuiabá ampliar com Eduardo Ramos. Mas valeu o poder de superação do time da casa. Aos poucos, a equipe do técnico Gerson Gusmão conseguiu exercer pressão novamente em busca do empate. Primeiro, aos 33 minutos, Sosa subiu de cabeça e carimbou a trave. Mas, aos 45, a pressão surtiu efeito. A bola sobrou para Robinho, que bateu firme da entrada da área e contou com desvio na defesa cuiabana para deixar tudo igual e dar números finais ao duelo.

FICHA TÉCNICA
OPERÁRIO 3X3 CUIABÁ

Local: Estádio Germano Krüger, Ponta Grossa (PR).
Data: Domingo, 16 de setembro de 2018.
Horário: 15h30.
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS).
Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi (RS) e Leirson Peng Martins (RS).
Público e renda: 5.439 pagantes | 6.003 total | R$ 127.280,00

Operário: Simão; Danilo Báia (Anderson Paraíba), Alisson, Sosa e Peixoto; Chicão, Erick e Robinho; Dione (Quirino), Cleyton e Bruno Batata (Schumacher).
Técnico: Gerson Gusmão.

Cuiabá: Victor Souza; Jean, Ednei, Edson Borges e Danilo; Alê, Marino, João Carlos (Doda) e Eduardo Ramos; Adriano Pardal (Bruno Alves) e Jenison (Flávio).
Técnico: Itamar Schülle.

Gols: Dione a 0′ e Erick (OFEC) aos 45′ do primeiro tempo; Marino aos 3′ e 19′, Jenison (CUI) aos 23′ e Robinho (OFEC) aos 45′ do segundo tempo.

Cartões amarelos: Simão (OFEC); Edson Borges e Doda (CUI).