Último acesso do Coritiba foi com o título da Série B. (Geraldo Bubniak/AGB)

O Coritiba está a um empate de voltar para a Série A do Campeonato Brasileiro. A última vez que o Coxa viveu a sensação de retornar para a elite foi em 2010. Na ocasião, o momento era diferente e o clube precisou se reerguer para conquistar uma vaga na primeira divisão e ainda ficar com o título.

A Série B começou para o Coritiba longe do estádio Couto Pereira. Por conta da punição do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pela briga generalizada no jogo do rebaixamento em 2009, o Coxa perdeu 10 mandos de campo e teve que mandar mais da metade de seus jogos na Arena Joinville.

“Foi um ano muito difícil quando iniciamos. Em janeiro de 2010, quando assumimos, o clube vinha de um trauma terrível de 2009 com a queda e o problema do fechamento do estádio, punição de 30 jogos na época. Nós iniciamos o trabalho nos tribunais, conseguimos reduzir para 10 jogos, mas tivemos que mandar as partidas em Joinville. Foi uma campanha onde o grupo era unido e o técnico [Ney Franco] era comprometido”, afirmou Vilson Ribeiro de Andrade, presidente do Coritiba na época.

O retorno para casa

(Geraldo Bubniak/AGB)

A volta para o estádio Couto Pereira aconteceu no dia 18 de setembro. Com a presença de mais de 30 mil torcedores, o Coritiba venceu a Portuguesa por 2 a 0 e o jogo é considerado um marco na campanha do acesso. “Foi marcante o jogo da Portuguesa porque foi o dia que voltamos para o Couto. Estávamos ausentes, tivemos que fazer uma série de reformas e estávamos distantes de casa. Aquele saudosismo de voltar para aquele vestiário, aquele campo, olhar para a torcida”, disse Vilson Ribeiro de Andrade.

Em campo, o jogo marcou também a volta de Tcheco ao Coritiba. “Eu cheguei praticamente na virada do turno. Não pensei duas vezes quando tive a chance de vir para Coritiba e o clube estava na terceira, quarta posição. Por coincidência, era a volta do Coritiba ao Couto Pereira. Foi muito satisfatória a minha ida para o Coritiba e o objetivo era resgatar a autoestima do torcedor e voltar para a primeira divisão”, disse o ex-meia.

O jogo do acesso

A vaga para a Série A veio na 35ª rodada em uma vitória emocionante por 3 a 2 sobre o Duque de Caxias. Em São Januário, o Coxa abriu 2 a 0, com gols de Léo Gago e Enrico, mas sofreu o empate nos minutos finais. O gol do acesso veio apenas aos 44 minutos do segundo tempo, com Marcos Aurélio.

“Ficou muito marcante o jogo do acesso, que foi em São Januário contra o Duque de Caxias. Nós estávamos ganhando de 2 a 0, sofremos o empate no final do jogo e marcamos o gol da vitória com o Marcos Aurélio, após uma jogada individual minha. Foi marcante ter feito parte daquele acesso”, contou Tcheco, que entrou durante o segundo tempo na vaga de Rafinha.

O jogo do título

Já o título também veio em um jogo emocionante fora de casa. Na 37ª rodada, o Coritiba foi até Juazeiro do Norte e ficou no empate com o Icasa em 2 a 2. O gol do título foi marcado pelo atacante Geraldo, aos 42 minutos do segundo tempo.

“O gol do Geraldo no empate em 2 a 2 que confirmou o título foi uma alegria imensa. A volta ao Couto Pereira foi a grande alegria depois de tudo que o clube passou, fomos malhados no Brasil e recuperamos a autoestima para conquistar o título da Série A”, contou o ex-presidente coxa-branca.