Foto: Divulgação/Coritiba

Se a indefinição no futebol profissional ainda é grande, mesmo com a volta dos treinos dos elencos dos principais clubes brasileiros, o retorno gradual das categorias de base segue sem um prazo minimamente estipulado. Essa é a realidade da grande maioria dos clubes brasileiros – e no Coritiba não é diferente. Sem poder treinar desde março, o zagueiro Fabio Bogler, de 19 anos, uma das promessas da base coxa-branca, tem ‘se virado’ em casa para manter seu condicionamento físico.

O jovem atleta, com cinco convocações para a Seleção Brasileira de base no currículo, concedeu entrevista à Banda B e falou sobre a temporada de 2020 que, para muitos, pode ser considerada ‘um ano perdido’ na carreira profissional, inclusive de Fabio Bogler. “O Coritiba tem nos apoiado muito, passando treinos para evoluirmos em casa, já que não temos o campo para trabalhar. Mas não é a mesma coisa. É realmente quase um ano perdido. Mas não podemos abaixar a cabeça e temos de aproveitar o que o clube nos passa”, analisou o zagueiro.

Carreira

Fabrio Bogler chegou ao Coritiba em 2012, com apenas 12 anos, e tem de destacado no clube desde então, com dois títulos paranaenses (sub-15 e sub-17). “Fiz uma peneira na época e acabei passando. Com 14 anos, tive minha primeira convocação para a Seleção Brasileira e foi a realização de um sonho. Após isso, ainda fui convocado mais quatro vezes, a última na seleção sub-20”, relembra.

Hoje no sub-20 do alviverde, e prestes a encerrar sua passagem pelas categorias de base, o zagueiro já visa o time principal do Coritiba, mesmo com a paralisação. “Não temos ainda uma data definida da volta, mas tenho certeza que o clube voltará quando todos tivermos segurança para o trabalho. Dá muita vontade de treinar com o profissional. Vamos torcer para que tudo isso passe e eu possa aproveitar o meu momento, quando ele chegar”, finaliza.