Samir Namur, Renato Follador e João Carlos Vialle, candidatos a presidência do Coritiba. (Banda B)

O presidente Samir Namur vai convocar uma reunião com os candidatos João Carlos Vialle e Renato Follador para definir o futuro técnico do Coritiba. As possibilidades são manter o auxiliar Pachequinho ou contratar um novo treinador para a sequência do Campeonato Brasileiro. Porém, independente do encontro, a tendência é que um novo nome seja contratado.

A reportagem da Banda B procurou Follador e Vialle para saber o posicionamento de cada treinador sobre o assunto.

Renato Follador – chapa Coritiba Ideal

A Banda B buscou a opinião de Renato Follador, candidato pela chapa Coritiba Ideal. Para ele, o Pachequinho não é a melhor solução para tirar o clube Alviverde da situação que se encontra hoje. O candidato a presidência afirmou que tem nomes para assumir o cargo de treinador, em um planejamento a longo prazo, mas que não cabe divulgar no momento.

Para ele, Samir Namur deveria ter um plano B para a contratação de Rodrigo Santana. Follador afirmou que ainda não havia sido procurado, mas que a sua única sugestão seria “procurar um melhor técnico para o Coritiba, porque o clube merece o melhor”.

João Carlos Vialle – chapa União Coxa

Candidato da chapa ‘União Coxa’, João Carlos Vialle ressaltou que um novo treinador precisa de tempo para se adaptar ao clube, mas o assunto precisa ser discutido “com calma”. “Na minha vivência e experiência no futebol, você sabe que qualquer treinador novo leva um período muito longo para se adaptar ao clube e conhecer os atletas. Se for para investir em um treinador que vai levar um certo tempo, eu prefiro manter quem já está dentro do plantel e conhece os atletas do clube”, comentou.

“Isso é uma hipótese, mas é um fato novo que a gente precisa discutir com calma. Pode ter até trazer outro treinador. O treinador ideal seria o Mozart, que conhecia bem e está fazendo um bom trabalho, mas é impossível trazer de volta”, acrescentou.