Marcelo Foggiato Licheski, presidente do Conselho Deliberativo do Coritiba concedeu entrevista exclusiva à Banda B. (Divulgação/Coritiba)

Desde o dia 8 de dezembro, quando o Coritiba comunicou através de uma nota oficial em seu site que as Eleições presidenciais de 2020 estavam adiadas em virtude da bandeira laranja adotada em Curitiba, os torcedores ainda tem incertezas quanto ao pleito. Em entrevista exclusiva à rádio Banda B, o presidente do Conselho Deliberativo do Coritiba, Marcelo Foggiato Licheski, explicou que ainda não tem nada definido, mas que uma Assembleia Extraordinária será realizada na próxima segunda-feira (14) pelo Conselho Deliberativo Alviverde para definir todas as questões.

“Ainda não temos uma definição, infelizmente, e entendo até que não por culpa nossa. Na verdade, as eleições estavam marcadas para o dia 12 de dezembro, mas por força de um decreto municipal e estadual, tiveram que ser adiadas. Remarcamos para o dia 15 de dezembro, mas em reunião com as três chapas, elas foram unânimes em entender que a base de dados do Coritiba, hoje, está muito defasada, para fazer uma eleição virtual”, explicou Licheski.

Com este problema em mãos, a comissão eleitoral entende que é preciso melhorar esta base de dados para não prejudicar nenhum torcedor. “Alguns entendem que dá tempo para arrumar isso, outros que não. Tem quem entenda que o prazo precisa ser mais longo e não tão exíguo, para que o sócio tenha tempo de fazer este recadastro”, exemplificou.

Em uma nova reunião realizada com as três chapas inscritas para as eleições de 2020 no Verdão, a comissão eleitoral e o conselho apresentaram três datas. “20 de dezembro para o pleito presencial, se o decreto cair o que não é ima certeza, e deixamos uma segunda data presencial para o dia 16 de janeiro. Uma terceira data virtual, com prazo para que todos possam fazer o recadastramento, para o dia 31 de janeiro de 2021”, afirmou.

“Como não houve consenso, para que se evite qualquer tipo de judicialização, estou marcando uma assembleia extraordinária interna, para dentro do Conselho Deliberativo, para que o conselho delibere sobre a data, a forma, como será realizada as eleições, se será virtual, pelo site do clube ou um site externo”, pontuou o presidente do Conselho Deliberativo do Coritiba, Marcelo Foggiato Licheski.

A chapa Coritiba Ideal, publicou uma nota sendo contra a mudança e a União Coxa também publicou uma nota oficial se posicionando contra a utilização do sistema online para as eleições do dia 15. Para o conselheiro, isso pode implicar em uma interrupção do processo eleitoral. “É um risco que se corre, por isso foram feitas várias reuniões com as chapas, vários esforços foram feitos para evitar qualquer tipo de dissabor, qualquer tipo de judicialização. Infelizmente não houve um conselho e por isso estou remetendo ao conselho definir como será feito isso”, ressaltou.

Eleições Online

Na reunião com as chapas nesta quinta-feira (10), foi definido que a votação poderia ser realizada online pelo site do clube, desde que existissem condições técnicas para isso. No entanto, caso isso não fosse possível, as chapas poderiam indicar sites para que o pleito fosse realizado. “A partir dessa indicação das chapas, nós iriamos definir qual seria o melhor site, com decisão por maioria. Mas infelizmente isso também não foi possível e por isso, na reunião da Assembleia Extraordinária do conselho vamos definir tudo isso”, frisou o presidente do Conselho Deliberativo do Coritiba.