Pachequinho adaptou a lateral esquerda com a saída de William Matheus. (Divulgação/Coritiba)

Coritiba perdeu mais uma no Campeonato Brasileiro da Série A, desta vez para o Atlético Mineiro, por 2 a 0, no Mineirão neste sábado (26). O resultado acendeu todas as luzes de alerta para o time Alviverde, que tem 94% de chance de rebaixamento, segundo o matemático Tristão Garcia, do Infobola.

Com improvisos na lateral, Pachequinho justificou as suas escolhas e o que pensou para colocar o lateral-direito Jonathan, na lateral esquerda da equipe. “O Jonathan já vinha treinando a algum tempo, fazendo essa função de lateral, nós entendíamos que assim que se o William Matheus não continuasse, nós teríamos que ter alguma peça para repor. O Jonathan era um dos jogadores que vinha fazendo essa função nos treinamentos e em outros momentos o Mattheus Oliveira também fez esta função muito bem. Jonathan saiu da lateral direita que foi para a esquerda e o Natanael também, a ideia era essa de manter dois laterais de oficio, mesmo improvisando”.

O treinador também foi questionado sobre a utilização de laterais esquerdos das categorias de base, que fizeram boas atuações em 2019 e 2020 e poderiam ter sido aproveitados ao invés das adaptações feitas. “Kazu e o Angelo são garotos da base e a categoria foi muito prejudicada pelo calendário e a questão da Covid atrapalhou muito. Quando eu cheguei no clube praticamente já tinha se encerrado as competições, então são jogadores que no futuro terão oportunidades no profissional. Porém neste momento, sem eles estarem treinando, seria arriscar com meninos da base na competição onde a gente precisa pontuar e sair desta situação, sendo que tínhamos no elenco jogadores fazendo essa função de lateral”, pontuou.