CoritibaCoritiba começa o ano com a missão de escapar do rebaixamento para a Série B. (Divulgação/Coritiba)

O Coritiba teve um ano de 2020 para esquecer. Após perder o título do Campeonato Paranaense nos minutos finais para o rival Athletico, o Coxa tem a pior campanha do Brasileirão e 93% de risco de cair para a segunda divisão. O clube ainda não sabe em qual divisão estará em 2021, mas já tem a certeza que terá uma nova diretoria. Renato Follador foi eleito presidente na última terça-feira (29) e já iniciou o seu trabalho.

Confira quais os desafios do Coritiba para 2021 nas opiniões de Gil Rocha, Serginho Prestes e Milton Do Ó.

Gil Rocha

A situação do Coritiba para o começo da temporada de 2021 é complicada. O time está em uma situação difícil e é complicada a recuperação para escapar do rebaixamento. O elenco é grande, mas não tem grandes destaques e tem muitas trocas de jogadores. Os treinadores não conseguem chegar à conclusão de qual a melhor formação coxa-branca. O ano do Coritiba vai depender muito do começo de 2021 e do que pode fazer. No momento, a situação é muito complicada e tem que mudar muito em termos de pontuação e fazer pontuação de Libertadores para fugir do rebaixamento. Para isso, precisa render mais.

Os jogadores estão com a responsabilidade de manter esse time centenário na primeira divisão. Um time que tem a torcida machucada, magoada, mas que ainda acredita nesse grupo. É um grupo que mostrou muito pouco no Campeonato Brasileiro e tem a chance de se redimir. Não dá para iludir e vai ser uma surpresa se conseguir vitórias e a pontuação. A gente fica na torcida que os jogadores se juntem, façam boa apresentação e evitem a queda. Um novo rebaixamento será de muita dor para a torcida e de muitos problemas financeiros.

Serginho Prestes

Coritiba terá um novo mandato que se pensa em um clube diferente dos últimos dois mandatos e que teve muita inconstância. Coritiba precisa se reinventar como clube e terá uma tarefa de começo do ano muito árdua que é reverter a situação muito difícil de permanência na Série A. Pelo grau de dificuldade, o Coritiba deve terminar a temporada rebaixado e a nova diretoria precisa da paciência da comunidade alviverde para se planejar para uma disputa de Série B exitosa e o retorno à Série A como uma boa preparação e um bom paranaense pensando no Brasileiro.

O Coritiba vive um tempo de reconstrução e precisa se redefinir como um clube. Está há anos sem saber o que faz, como faz e quais os métodos. Precisa se planejar e saber o que quer quanto clube e equipe de futebol. O sonho de não cair ainda existe, mas vejo uma dificuldade grande.

Milton Do Ó

Coritiba vive um momento dentro da competição difícil e não teve descanso dentro do Campeonato Brasileiro. Teve muita oscilação, que é normal para as equipes, mas essa oscilação negativa é muito maior para os times da parte de baixo da tabela e o Coritiba é uma prova disso. Em alguns jogos, conseguiu exibir bom futebol, mas não alcançou resultados que o tirasse dessa situação. Houve momentos que não jogou tão bem e arrecadou pontos.

A grande dificuldade é conseguir estruturar o seu jogo e seja eficiente. Tem que estar agregado a características dos atletas, o desenho tático tem que estar formado em base a isso para que possa produzir da melhor forma possível, coisa que o Coritiba não fez não só no último ano. É isso que desestrutura uma equipe. A grande dificuldade para o Coritiba em 2021 é essa para encaixar toda a sua meta e objetivo e como vai correr em busca dele.