Rodrigão marcou gol anulado do Coritiba. (Divulgação/Coritiba)

A vitória do Coritiba por 1 a 0 sobre o Guarani ficou marcada por um erro do árbitro Léo Simão Holanda, da Federação Cearense de Futebol (FCF). De acordo com as novas regras, a bola será do time do último jogador que tocar na bola antes da paralisação. Portanto, a posse seria do Guarani no reinício da partida. A ideia é justamente amenizar os lances em que os jogadores chutam a bola para um local longe de onde a jogada estava acontecendo.

Aos 22 minutos do primeiro tempo, Léo Simão Holanda parou a partida para atendimento do goleiro Wilson, que sentiu lesão após dividida com jogador do time campineiro. No momento em que o jogo foi paralisado, o Guarani estava com a posse de bola e deveria continuar com a bola no reinício.

Porém, o juiz reiniciou a partida com bola ao chão. O lateral-direito Sávio, do Coritiba, deu um chute para frente, Rodrigão aproveitou e balançou as redes. O lance gerou muita reclamação dos jogadores do Guarani. Depois de quase 10 minutos, o árbitro anulou o gol.

Após a partida, Rodrigão afirmou que apenas seu trabalho e o único erro foi do árbitro. “Eu vou deixar na mão do juiz que fez o lance. Eu fui xingado, mas fiz o meu trabalho. Juiz deu a bola no pé do meu time e ele voltou o jogo porque quis”, comentou.