Eduardo Barroca orientando a equipe durante a derrota diante do Internacional. (Geraldo Bubniak/AGB)

A volta da Coritiba à primeira divisão não foi da maneira que o clube imaginava. A derrota para o Internacional é a terceira em sequência. Diferente das finais do Campeonato Paranaense, a atuação do Verdão ficou muito abaixo do esperado, principalmente no segundo tempo. O técnico Eduardo Barroca, viu com bons olhos, a atuação na primeira etapa, porém, a segunda metade do jogo, foi determinante.

“Foi um jogo no primeiro tempo, que o Coritiba foi mais agressivo do que o Internacional, criamos as melhores oportunidades, tivemos mais bola parada e acertamos uma bola na trave. Mas no segundo tempo realmente não conseguimos manter o nível do primeiro tempo, diante de um adversário difícil”, lamentou o técnico.

Para o Brasileirão, entrou em vigor a regra das cinco substituições. O Coritiba utilizou todas as substituições e para o técnico, as trocas foram determinantes para o resultado da partida. “Chegou um determinado momento, as trocas começaram a fazer diferença e num momento de desequilíbrio, as trocas do Internacional, fizeram diferença, acabaram vencendo numa bola longa que o Thiago Galhardo, cruzou para o Guerrero fazer o gol”, analisou Barroca.

Com a maratona de jogos, o Coritiba terá pouco tempo para treinar. A próxima partida do Verdão acontece na quarta-feira (12) diante do Bahia. Em relação como preparar a equipe, Barroca aposta na recuperação física. “Agora precisamos recuperar o mais rápido que puder, para que nós enfrente o Bahia que é um adversário muito difícil”, disse preocupado o treinador.