Jorginho - técnico do CoritibaJorginho. (Divulgação/Coritiba)

O técnico Jorginho lamentou a falta de amistosos ou jogos-treinos para dar ritmo de jogo aos últimos jogadores contratados pelo Coritiba. Alguns exemplos são o meia Mattheus Oliveira e os atacantes Ezequiel Cerutti e Ricardo Oliveira.

Em entrevista após a derrota para o Santos por 2 a 1, o treinador explicou os motivos para não realizar os amistosos. “Nós gostaríamos muito de fazer um amistoso, mas tem problema de fazer um amistoso. Para a equipe quem ver jogar contra a gente, tem que ter o teste da Covid-19. Nem toda equipe pode fazer isso. Contra a base, o sub-23 jogou e tem jogo na sexta-feira, e o sub-20 tem jogo na quarta-feira pela Copa do Brasil”, comentou.

“O ideal era ter um jogo-treino na segunda-feira para colocar Cerutti e Ricardo Oliveira, alguns jogadores para suportar pelo menos um tempo. Nós estamos trabalhando com todas essas dificuldades. Eu joguei contra um clube com jogadores de altíssimos nível e fomos até certo ponto melhores do que eles e com mais posse de bola”, acrescentou Jorginho.

Situação dos jogadores

Ricardo Oliveira não atuava desde março, foi titular no empate com o Fortaleza e entrou no segundo tempo na derrota para o Santos. “A gente viu o quanto ele tem dificuldade. Ele treinava à parte na academia e não é tão simples assim. Não é ficar lamentando, mas é uma realidade que a gente se encontra. Alguns jogadores não estão na forma física e o Ricardo ainda não tem condição de jogar a partida inteira. Um jogador que quanto mais jogar, melhor”, afirmou Jorginho.

Cerutti, que ficou no banco de reservas contra o Santos, não joga uma partida oficial desde 20 de outubro de 2019. E Mattheus Oliveira estreou no final da partida diante do Palmeiras e encerrou um período de quase 18 meses sem entrar em campo. A última partida antes da estreia havia sido em 19 de maio de 2019, quando ainda jogava pelo Vitória de Guimarães, de Portugal.