Jogadores do Coritiba comemoram a goleada sobre o Palmeiras. (Geraldo Bubniak/AGB)

O dia 05 de maio está marcado para sempre na memória do torcida do Coritiba. Neste dia, em 2011, o Coxa aplicou uma goleada histórica por 6 a 0 no Palmeiras, pelas quartas de final da Copa do Brasil. Os gols da partida foram marcados por Emerson, Davi, Léo Gago, Bill, Geraldo e Anderson Aquino.

Durante o programa Balanço Esportivo, os jogadores do Coritiba na época relembraram o momento histórico do clube. Confira abaixo todas as entrevistas:

Emerson – zagueiro

A gente sabia que era um jogo bastante difícil e vinha motivado pela sequência de vitórias. Mas nunca imaginamos que seria aquele placar tão elástico. A gente sabia da qualidade do nosso elenco, do trabalho que vinha sendo feito desde a pré-temporada e iria enfrentar uma potência de equipe. Só que nosso time era muito bem organizado e tinha encaixado perfeitamente nesta partida. Sabíamos que nosso time tinha total condição de vencer a partida e precisamos de um resultado muito bom em casa. Ficamos felizes pelo que fizemos na partida e muitos jogadores do Palmeiras falaram que não tinham jogado nada, mas não jogaram porque o Coritiba impôs o ritmo e fez o que vinha fazendo nos jogos no Couto.

Acredito que entramos para a história com esse placar elástico. Nós merecemos porque nosso time era unido, não tinha soberba e foi ali que conseguimos fazer o nosso bonde de comemoração. Muito feliz por falar um pouco desse jogo.

Os jogadores escutaram o Felipão falando que a gente só jogava o Paranaense e seria diferente contra o Palmeiras. Pensei que seria o jogo da minha vida e não seria o que ele estava pensando. Todo mundo isso como motivação e aconteceu uma goleada histórica. A gente tinha capacidade de vencer o Palmeiras”

Lucas Mendes – lateral-esquerdo

Um jogo histórico e que está marcado no clube. 6 a 0 no Palmeiras em uma Copa do Brasil não é fácil pelas circunstâncias. Ninguém acreditava que a gente poderia passar pelo Palmeiras e até falaram muito antes do jogo. Dentro de campo, eles viram que não era bem assim. Nós tivemos um placar elástico, com a torcida empurrada, e ficou marcado também por fazer parte daquelas 24 vitórias seguidas. É uma pena não ter coroado com o título, mas a campanha ficou marcada por esse 6 a 0 em cima do Palmeiras.

Léo Gago – volante

Está marcado na história e está marcado na história dos jogadores e dos torcedores. Foi um dia especial para mim, sempre marquei gols por onde passei, mas não tinha nenhum gol em 2011. Eu estava apreensivo e ansioso e nada melhor do que ter saído em um dia especial.

Davi – meia

Mais do que especial por ser o Palmeiras, com um grande treinador e grandes jogadores. Nos concentramos bastante para esse jogo e entramos com o foco total para conseguir o resultado. A gente queria usar a nossa força em casa para ir com um resultado mais tranquilo para São Paulo. Aconteceu o 6 a 0 e quem viu o jogo sabe que poderia ter sido mais. O Coritiba jogou muito, a gente variava as jogadas e seis jogadores diferentes marcaram os gols. Isso mostrou a nossa qualidade.

Muitas coisas foram ditas naquela semana. Eles falaram que a gente não tinha ganhado de ninguém e só enfrentava equipes fracas. Foi uma forma de nos motivar. Nós entramos focados para fazer o resultado e foi o massacre que foi.

Rafinha – atacante

Um jogo inesquecível não apenas para os jogadores, mas para a torcida do Coritiba. Quem viu esse jogo nunca vai mais esquecer. Eu tive o privilégio de estar dentro de campo e o primeiro gol saiu de uma assistência minha. Tudo deu certo desde o primeiro lance e saiu um lance de gol atrás do outro. Com certeza está marcado na minha memória e de muitos torcedores do Coritiba. Feliz de fazer parte de um jogo histórico.

Geraldo – atacante

O maior desafio era para eles até pela sequência que a gente estava. Entramos em campo para ganhar o jogo, mas foi um resultado surpreendente. A gente sabia no decorrer do jogo que iria ganhar o jogo, mas o 6 a 0 foi bem surpreendente.

Anderson Aquino – atacante

Foi um jogo praticamente perfeito, dominamos o jogo do começo ao final. Tudo que antecedeu o jogo nos ajudou bastante. Algumas entrevistas do Felipão e a imprensa paulista diminuíram as nossas vitórias. Isso nos deu força para entrar mais concentrado e mostrar que as vitórias não foram por acaso. O nosso time era muito bom mesmo e a gente mostrou isso dentro de campo. Eu fiz o sexto gol, foi um momento único na carreira e ninguém foi embora depois do jogo.