Jogadores reclamaram bastante do árbitro Rodrigo Carvalhaes de Miranda e dos assistentes (WAGNER SOUZA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO)

O Coritiba perdeu a invencibilidade de dez partidas na derrota para a Ponte Preta, no último sábado (31), e viu a distância para o líder Bragantino aumentar na Série B. O revés em Campinas-SP ficou marcado por nova polêmica com arbitragem, com um impedimento não marcado no gol que deu a vitória ao adversário, e deixou os jogadores alviverdes na bronca pelo terceiro jogo consecutivo.

“A gente vem aqui com a mentalidade de vencer o jogo, mas é o terceiro jogo seguido que é prejudicado pela arbitragem. É difícil trabalhar assim”, reclamou o atacante Wellissol na saída do gramado do Moisés Lucarelli.

A indignação dos jogadores se deu após dois empates consecutivos que também causaram indignação. No duelo com o Bragantino, o árbitro não marcou penalidade em Rodrigão e o assistente anulou um gol legítimo de Sabino. No penúltimo, contra o Vitória, os atletas reclamaram bastante de um pênalti não marcado em Rafinha. Ambos terminaram empatados em 1 a 1.

“A gente procura não reclamar da arbitragem, mas sempre tem um erro que prejudica. O juiz nunca vê contra a gente”, afirmou o lateral-esquerdo William Matheus.

O zagueiro Sabino também lamentou o erro do árbitro, mas fez questão de ressaltar a atuação abaixo da média do Coritiba no revés. “Já é comum os árbitros errarem contra o Coritiba. Cabeça erguida, bola para frente e tem muito campeonato ainda. Fizemos um jogo abaixo dos 10 jogos que estávamos invictos”, afirmou.

Com 34 pontos, o Coritiba viu a distância para o líder aumentar para sete pontos e o Atlético-GO, 3º colocado, encostar. Na próxima rodada, a equipe encara a própria equipe goiana, no domingo (08), às 11h, no Couto Pereira.

Confira a transmissão da derrota do Coritiba para a Ponte Preta: