Jaime Rocha, infectologista do Coritiba. (Divulgação)

O infectologista do Coritiba, Jaime Rocha, acredita que o protocolo estabelecido pelo clube tem tido sucesso por conta do baixo número de casos positivos para a Covid-19. Na segunda sessão de testes realizados na semana passada, com atletas, membros da comissão técnica e funcionários, apenas duas pessoas foram diagnosticados com a doença.

“Acredito que as decisões foram tomadas da forma correta. Fizemos o balanço com as secretarias municipal e estadual, aguardamos decisões serem tomadas, fizemos a testagem e já começamos o contato com a bola.Todas as etapas descritas no protocolo, a etapa 1 e agora evoluindo para a etapa 2, estão sendo cumpridas e com máxima segurança. A baixa identificação de casos demonstra que temos tido sucesso e que temos tido a capacidade de identificar e isolar precocemente qualquer atleta mesmo que assintomático”, afirmou o infectologista.

Rocha também reforçou a necessidade de manter todos os protocolos de saúde neste período. “Não temos nem vacina, nem remédios até o momento. Continuamos insistindo naqueles pontos. Uso de máscara em todos os momentos. Limpeza das mãos em todos os momentos. E distanciamento social além de 1,5m e 2m entre as pessoas. Essas são as últimas armas que temos até o momento. A última arma é: qualquer sinal ou sintoma, afastar e detectar se é caso de Corona ou não”, disse.

Retorno do futebol

No último sábado, a Secretaria de Saúde de Curitiba restringiu algumas atividades na capital, entre elas os treinamentos dos clubes. A medida não afetou o Coritiba, mas diminuiu a esperança da volta do Campeonato Paranaense. “O último passo do protocolo, que seria a retomada dos jogos, não dependem do clube, mas sim da secretaria de saúde estadual. Vamos estar atentos para que ocorra de forma segura”, explicou o infectologista.