Cleber Arado foi atacante do Coritiba entre os anos 97 e 2000. (Divulgação/Coritiba)

Ex-jogador Cleber Arado, de 48 anos, ídolo do Coritiba, faleceu neste sábado, 2 de janeiro, após complicações em decorrência da Covid-19. O centroavante estava internado no Hospital Reabilitação, na UTI por pouco mais de um mês. A família chegou a fazer várias ações para arrecadar fundos, já que Cleber foi induzido ao coma devido a gravidade da doença.

O atacante fez história com a camisa do Coritiba quando conquistou o Campeonato Paranaense de 1999 pelo clube, na ocasião quebrando uma sequência de 10 anos sem títulos da equipe Coxa Branca. Ele esteve dentro do elenco Alviverde entre 1997 e 2000, marcando 45 gols em 85 jogos, uma média de um gol a cada duas partidas.

Arado teve ainda passagens pelo Mérida, da Espanha e Kyoto Purple, do Japão. No Brasil defendeu o Guarani, Paulista, Avaí, e Portuguesa, Mogi Mirim, além do América-SP clube onde foi revelado.

Atualmente Cleber Arado era empresário e possuía um espaço de eventos na capital paranaense, ele deixa esposa e filhos. O sepultamento está marcado para as 17 horas, na Capela Municipal de São José do Rio Preto, em São Paulo, cidade natal do ex jogador.

O Coritiba emitiu uma nota oficial sobre o falecimento do atleta, confira na íntegra abaixo:

O Coritiba Foot Ball Club lamenta, com imenso pesar, o falecimento do ídolo coxa-branca, Cléber Arado, ocorrido na manhã deste sábado (02). Vítima da Covid-19, Cleber esteve internado na UTI por 34 dias e infelizmente não resistiu.

O Conselho Administrativo do Coritiba, em nome da nação coxa-branca, presta aqui sua homenagem a familiares e amigos, com toda solidariedade. O clube alviverde decreta luto oficial por três dias, com bandeira a meio mastro e fará um minuto de silêncio no jogo do próximo dia 6 de janeiro, contra o Goiás, no Couto Pereira.Cléber Arado nasceu em São José do Rio Preto, em São Paulo, em 11 de outubro de 1972, foi revelado pelo América, e fez história no Coritiba no final dos anos 90. Cleber fez 85 jogos com a camisa alviverde e marcou 45 gols para a torcida coxa-branca vibrar. Foi campeão paranaense 1999, quando fez um golaço de voleio, histórico, contra o Paraná Clube, na primeira partida da final do campeonato.