Coritiba volta para a Série A após dois anos. (Rodolfo Buhrer/Banda B)

Após dois anos disputando a Série B do Campeonato Brasileiro, o Coritiba finalmente retorna para a elite do futebol nacional. O Brasileirão, inclusive, é a única competição restante no calendário alviverde, já que foi eliminado na primeira fase da Copa do Brasil para o Manaus e perdeu a final do Campeonato Paranaense para o Athletico, seu maior rival.

Pelo segundo ano consecutivo, o Coxa viveu a frustração de ser eliminado na primeira fase da Copa do Brasil, o que complica as contas do clube, que geralmente cria um planejamento com o avanço de pelo menos três fases da competição.

O técnico Eduardo Barroca criou uma filosofia de trabalho dentro do Coritiba, usando a manutenção de posse de bola e pressão pós-perda, porém o Coxa ainda vem pecando muito na parte da finalização. Cria para finalizar em média 15 vezes por jogo mas não tem conseguido converter tanto as chances em gol, e é o que a equipe vem buscando evoluir para o início da Série A.

O início do Brasileirão será de mudanças para o Coritiba, que não pode mais contar com o seu principal jogador, o atacante Rafinha, que sofreu uma fratura na fíbula e ruptura dos ligamentos do tornozelo na final do estadual. Outro jogador que não poderá atuar no início é o centroavante Igor Jesus, com uma torção de tornozelo, também na decisão do Paranaense.

Alguns jogadores ainda não estão a disposição do técnico Eduardo Barroca, como o volante Matheus Sales que teve uma lesão muscular na coxa e já iniciou transição, mas fica de fora das primeiras rodadas. Giovanni Augusto também está próximo de voltar, diferente do zagueiro Nathan Ribeiro e do meia Giovanni, que ficarão a disposição apenas em setembro.

Até aqui, apenas um reforço foi confirmado para a disputa do nacional, o atacante Neílton de 26 anos acertou com o Coxa até o final de 2022, mas ainda não tem condições de jogo para este sábado, contra o Internacional, por questões físicas. Com as lesões, a diretoria volta ao mercado para procurar pelo menos um atacante de beirada. O segundo reforço deve ser confirmado nos próximos dias: o lateral-direito Jonathan, que disputou o Paulistão pelo Água Santa e já foi treinado por Eduardo Barroca no Atlético-GO.

A meta Coxa-Branca para o Brasileiro é a permanência na primeira divisão para poder ajeitar as contas e tentar voltar a se estruturar, focando no futuro e numa evolução para poder voltar a disputar títulos.

Time-base

Alex Muralha; Patrick Vieira, Rhodolfo, Sabino e William Matheus; Matheus Sales (Nathan Silva ou Renê Jr), Matheus Galdezani e Gabriel; Neilton (Thiago Lopes), Robson e Igor Jesus (Wanderley ou Sassá).

Destaque

Sabino – o zagueiro Coxa-Branca de apenas 23 anos é o jogador mais sólido da equipe no retorno do futebol, além de ser o principal batedor de pênaltis. Contribuiu com gols e assistências no Campeonato Paranaense e ainda esbanja qualidade na saída de bola.