Por Pedro Melo com informações de Osmar Antônio

Kléber pode ganhar um companheiro de ataque na fase final do estadual. (Divulgação/Coritiba)Kléber pode ganhar um companheiro de ataque na fase final do estadual. (Divulgação/Coritiba)

Gilson Kleina ganhou uma dor de cabeça positiva. Pela primeira vez, o técnico do Coritiba teve a disposição Kléber e Jorge Ortega e optou por jogar apenas com o primeiro. Entretanto, os dois aturaram juntos nos minutos finais da vitória sobre o Maringá e o treinador não descartou escalar ambos desde o início em outras ocasiões.

“Precisamos trabalhar mais essa situação. No momento que você coloca dois jogadores da área e fica mais ofensivo, tem mais presença de área. Porém, sacrifica mais o Kléber para ajudar o volante, a transição defensiva dificulta mais, mas é uma situação que precisamos treinar”, explicou Gilson Kleina.

Entretanto, o comandante coxa-branca explicou que o novo esquema precisa ser treinado antes de entrar em campo porque para não deixar o setor defensivo mais exposto. “Posicionamos o João Paulo como o primeiro volante, porque o Alan sai muito e tinha momentos que ficava só o João [na marcação]. Então, essas são as situações que precisamos administrar, mas podemos trabalhar sim”, comentou.

Kléber é o artilheiro do Campeonato Paranaense, com nove gols, e fez o terceiro gol do triunfo por 3 a 1 com o Maringá. Já Jorge Ortega entrou em campo somente três vezes, mas ainda não balançou as redes.