Dirceu. (Gustavo Oliveira/Londrina)

A Europa é o epicentro da pandemia do covid-19, o novo coronavírus. Em entrevista à Banda B, o zagueiro Dirceu, com passagens por Coritiba e Londrina e atualmente no Vilafranquense, relata como está a vida em Portugal durante a quarentena e revela uma preocupação do país com os idosos. O primeiro-ministro português, Antônio Costa, já declarou que as pessoas com mais de 70 anos só podem sair de casa em situações excepcionais.

“O que sinto aqui é que o governo português foi o último a tomar as decisões mais drásticas. Não é uma economia tão rica quanto a dos vizinhos e não pode se dar ao luxo de travar toda a vida social. Portugal foi o último a parar e declarou estado de emergência no dia 18. Hoje está tudo parado e pouquíssimas pessoas estão nas ruas”, disse. “É uma situação que ainda está controlada, mas tomou uma proporção muito grande. Portugal tem um porém que a faixa etária é muito elevada e tem muitos idosos. Isso aumenta a preocupação e a cautela”, acrescentou.

Dirceu conversou com jogadores em outros países e o relato de todos é o mesmo: os eventos só foram suspensos quando os casos de coronavírus chegaram aos países. “A gente conversa, tem um laço afetivo criado pelo futebol e todos dizem a mesma coisa. Enquanto não chegava ao seu país, as coisas funcionavam normalmente. Todos sabiam da existência da situação, mas não tinha a real noção. A conversa mudava quando chegava ao país, o futebol parava e a vida social também. Alguns cogitavam retornar ao Brasil, mas não sabiam se era a melhor solução. São vários fatores que precisam ser levados em consideração”, contou.

Até o fechamento da reportagem, Portugal tinha 1020 casos confirmados do novo coronavírus e seis mortes. Outros 7732 casos ainda são suspeitos.

Treinamentos durante a quarentena

Sem saber quando vai retornar aos gramados, Dirceu treina em casa para manter a forma física. “Isso a gente não pode parar nunca, nem mesmo nas férias, e agora não está sendo diferente. Estou há uma semana em casa, saindo apenas o necessário, e o clube passou três programações de treinos para que a gente faça”, afirmou.