Alex. (Geraldo Bubniak)

Um dos grandes nomes do futebol paranaense, Alex está em quarentena voluntária após uma viagem com a esposa Daiane Mauad para a Escócia. Em entrevista à Banda B, o ex-meia do Coritiba e atual comentarista ESPN Brasil contou que o retorno para o Brasil foi antes do previsto devido à pandemia do covid-19, o novo coronavírus.

“Eu estava no Reino Unido, passei sete, oito dias e acabei antecipando a volta. Estou em Curitiba cumprindo o que a OMS tem pedido de ficar dentro de casa com a família. Infelizmente as notícias só pioram a cada dia, mas a gente tem que fazer a nossa parte. É interessante que a sociedade entenda que não é algo pequeno e é só o início no Brasil. As pessoas precisam fazer esse isolamento, é a única forma de uma pequena proteção. É interessante que façamos bem a nossa parte”, disse Alex.

O ex-meia falou que o contato com as outras pessoas na Europa era mínimo, mas lamentou a angústia do filho do guia que o acompanhava. Ele tentava voltar de Barcelona, na Espanha, para casa. “Onde eu estava o meu contato com as pessoas era mínimo e meu contato era apenas com o guia. O guia tinha um filho que estava estudando em Barcelona e a gente vinha o desespero dia após dia para retornar para casa. Nós sentamos e decidimos voltar para o Brasil. Principalmente, no aeroporto de Londres, onde encontra os sul-americanos, você escuta história sobre preços dos bilhetes, dos valores no Brasil e do comportamento do próprio brasileiro”, declarou.

Depois do retorno para o Brasil, Alex tem aproveitado o tempo para ficar com a família e pede que os brasileiros se conscientizem para que a situação não fique igual a Itália e Espanha. “Estamos trancados dentro de casa, vendo TV e brincando com as crianças. É fazer bem a nossa parte porque a gente não sabe as condições que estamos”, afirmou.

“É fazer com as que coisas sejam diferentes do que foi na Itália, onde as pessoas acharam que não era algo tão sério e hoje enfrentam essa situação. Sabendo de tudo isso, é fazer esse isolamento para evitar uma transmissão tão grande quanto foi na Europa”, acrescentou o comentarista esportivo.