Rodrigo Pastana. (Geraldo Bubniak/AGB)

O executivo de futebol do Coritiba, Rodrigo Pastana, deu duas sugestões para o Campeonato Paranaense de 2020, que foi paralisado devido à pandemia do novo coronavírus: terminar com a classificação da primeira fase sendo levada em consideração ou utilizar apenas três datas, com jogos apenas de ida no mata-mata, para definir o campeão.

“É difícil a gente falar porque como terminamos em primeiro, está falando em beneficio próprio. O Paranaense é o único que se encontra em uma situação que pode ser terminado. Todos jogaram entre si, os rebaixados já foram definidos, os classificados para a Série D também. O Paranaense é muito fácil de se resolver: ou se termina e determina a classificação que ficou, independente do Coritiba ser o primeiro, ou veja como vão ficar os calendários nacionais e faça em três datas antes de começar o Brasileiro”, comentou o dirigente.

Independente da solução, Pastana ressaltou que é necessário uma nova pré-temporada antes do retorno das competições. “O que não pode é ser irresponsável de voltar ao trabalho no dia 20 de abril e jogar as finais no dia 30. Temos que ser responsáveis com os atletas e vamos precisar de 20, 30 dias antes do Brasileiro ou dos jogos decisivos do Paranaense. Espero que os dirigentes entendam que os atletas não são os robôs”, comentou.

Outra discussão por conta da paralisação do futebol é sobre o Campeonato Brasileiro. A presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Michelle Ramalho, revelou que uma nova fórmula pode ser discutida entre os clubes. Para o dirigente coxa-branca, a ideia é um retrocesso no calendário do futebol brasileiro. “Eu vejo um passo para trás. Mudar a fórmula do Brasileirão é um regresso gigante pelo que a gente tem até agora”, disse.