Paulo PelaipePaulo Pelaipe. (Geraldo Bubniak/AGB)

O diretor de futebol Paulo Pelaipe afirmou que a campanha do Coritiba é “fora da realidade” no Campeonato Brasileiro. Com a derrota para o Botafogo em casa por 2 a 1, o Coxa para a penúltima colocação e pode terminar a rodada na lanterna se o Goiás vencer o Corinthians na segunda-feira.

Pelaipe ainda lamentou os erros de planejamento e as diversas mudanças de treinadores durante a temporada. Apenas em 2020, o Coritiba já foi comandado por Eduardo Barroca, Mozart, Jorginho, Rodrigo Santana e Pachequinho. “Não posso me furtar de mandar uma mensagem para o torcedor do Coritiba que está magoado e triste com toda a razão. A campanha do Coritiba é pífia, fora da realidade. Foram cometidos muitos equívocos. A gente está triste, envergonhado com essa situação que o clube está. Não dá para fugir da responsabilidade e eu cheguei ao Coritiba em 24 de agosto com o Barroca demitido e Jorginho já contratado. Tentei ajudar da melhor forma possível, mas tive a doença em 10 de outubro”, comentou, em entrevista exclusiva ao programa Meio-Dia Esportivo.

“No período em que estive fora, teve mudança de treinador, contratações. As pessoas tentaram fazer o melhor, mas, infelizmente, as modificações vieram para piorar as coisas. Não deu certo. No futebol não é mudando o treinador que se acerta. Temos o exemplo do Raí, que teve pulso e firmeza para manter o Fernando Diniz quando todo mundo quis tirar ele. O Raí manteve o Fernando Diniz e olha que está acontecendo. São Paulo está chegando na Copa do Brasil e líder do Campeonato Brasileiro. Isso é convicção, o que faltou no Coritiba”, acrescentou o dirigente.

Passagens pelo Coritiba

Essa é a segunda passagem de Pelaipe pelo Coritiba. Em 2018, ele iniciou o trabalho em agosto, mas não evitou a permanência do Coxa na Série B. O diretor de futebol destacou que em nenhum momento conseguiu montar o planejamento e ressaltou que o clube não poderia ter mantido boa parte do elenco que subiu da segunda divisão para a disputa da Série A.

“As duas vezes que cheguei no Coritiba foi para apagar incêndio. Não consegui fazer trabalho de início de temporada para montar a equipe. Coritiba manteve 70% do elenco da Série B. Nada contra, mas tem que montar time de Série A para disputar o campeonato. Isso não foi feito. Lamentavelmente, eu cheguei com tudo pronto e os jogadores que pudemos contratar não estavam sendo aproveitados em clubes da Série A. É diferente se planejar, organizar, escolher os jogadores e fazer a equipe. O Coritiba é um dos maiores clubes do futebol brasileiro, tem uma torcida que merece respeito dos atletas, da comissão técnica e dos dirigentes que comandam o clube. Fico triste porque as duas vezes que vim para esse grande clube foram para apagar incêndio”, comentou o diretor.

Recuperação da Covid-19

Pelaipe viveu uma situação complicada nos últimos meses após sofrer com complicações da Covid-19. O diretor ficou entubado por quase 20 dias na UTI e recebeu alta no dia 24 de novembro. “Foram dias difíceis. Infelizmente em uma viagem do Coritiba para Porto Alegre, eu fiz o exame na volta para o Covid e testei positivo. O vírus me pegou de forma muito forte, tive 18 dias entubados, 32 na UTI e 46 hospitalizado”, falou.

“Não poderia deixar de agradecer a todos, o Coritiba, o departamento médico, a direção, os torcedores e os médicos. Depois de tudo que passei, eu vivi de novo e agora estou em processo de fisioterapia. A recuperação é lenta, o vírus é muito forte e violento. As pessoas têm que se cuidar e se preservar. Alguns debocham, não levam a coisa a sério para se cuidar. Quem teve a doença e passou pelo que passei, eu só posso dizer que não brinquem. Ele passa de forma rápida em alguns casos, mas em outros é muito violento”, contou.

Durante a última semana, o diretor esteve em Curitiba para conversar com os atletas do Coxa, mas foi cobrado pelos médicos por estar em período de recuperação. “Estou em São Paulo me recuperando. Fiz um esforço durante a semana, sem condições até, e os médicos me cobraram muito. Tive três dias no clube falando com os atletas, mas, infelizmente, não conseguimos a vitória”, falou.

Assista à entrevista de Paulo Pelaipe a partir de 50:35