Pachequinho. (Divulgação/Coritiba)

A derrota do Coritiba neste sábado (19) para o Botafogo, de virada, dentro do Couto Pereira acendeu todas os sinais de alerta. Com o resultado, o Verdão caiu uma posição e poderá terminar a rodada como lanterna, caso o Goiás vença a equipe do Corinthians na segunda-feira (21). Pachequinho assumiu a bronca de liderar a equipe até o fim do período de eleições e apesar de conseguir utilizar o que ele considera o 11 ideal do Alviverde, o time perdeu rendimento com as substituições.

“As alterações, na minha convicção, era que nós tivéssemos uma equipe equilibrada em todos os sentidos, com uma saída rápida, com duas linhas de quatro e pressionando e jogando forte na frente para que nós conquistássemos o espaço dentro de campo que nós estávamos tendo dificuldade nos jogos. Isso acabou acontecendo no primeiro tempo. A ideia das alterações era dar muito mais pegada e intensidade, e com posse de bola ter chegada mais rápida as transições ofensivas”, afirma Pachequinho.

O resultado, mais uma derrota dentro de pouco mais de dois meses e meio, também teve participação do zagueiro Sabino, que errou a cobrança de penalidade, mas o treinador interino destacou que ele era um dos melhores e que o peso não está só sobre os ombros dele. “Sabino junto com o Robson eram os responsáveis para fazer o pênalti. Nos treinamentos o Sabino tem eito e tinha praticamente 100% de aproveitamento. Teve essa infelicidade de errar, tem que dar confiança e levantar a moral dele, porque em outras oportunidades ele fez. Ele se sentiu a vontade de pegar a bola para bater. Infelizmente era para ser outro resultado, por tudo que construímos, um primeiro tempo muito bom”, explicou.

Não podemos desistir jamais. Temos que continuar corrigindo e cobrando para melhorar. Só vamos sair vencendo, não podemos desistir em nenhum momento, é buscar o resultado, buscar a vitória. Cada vez que nós não atingimos o objetivo, a gente aumenta a cobrança e a pressão e teremos que fora, buscar resultados que muitas vezes ninguém espera. O campeonato ainda tem 12 rodadas, é continuar com esperança, para nós tentarmos sair desta situação, buscar resultados que ainda não vieram e não podemos ter esse ambiente dentro do clube de que já não temos mais condições. Enquanto houver chances eu não vou desistir, penso que os jogadores também tem que pensar dessa forma. Agora é começar a na semana e trabalhar mais ainda para que a gente tenha um bom jogo lá com o Atlético Mineiro e venha com um resultado melhor do que foi hoje”, concluiu Pachequinho.

Próximo adversário do Coritiba é o Atlético Mineiro, vice líder da Série A, buscando a primeira colocação. O jogo acontece no sábado (26), às 17 horas, no Mineirão em Belo Horizonte, em jogo válido pela 27ª rodada da competição. Com 21 pontos, o Coritiba é o penúltimo colocado e vive uma situação cada vez mais crítica na competição, podendo ser ultrapassado até o fim desta 26ª rodada pelo Goiás.