Eduardo Barroca. (Geraldo Bubniak/AGB)

Mesmo de longe, em sua casa no Rio de Janeiro, o técnico Eduardo Barroca segue planejando o retorno do Coritiba a campo. O comandante alviverde classificou o trabalho da diretoria como ‘exemplar’ durante a quarentena, acerca da segurança de atletas e funcionários no retorno às atividades presenciais, e admitiu que a comissão técnica tem ‘olhado o mercado’ para possíveis reforços.

“Começamos ontem as atividades presenciais após 21 dias de treinos online. Essa é uma nova etapa para a preparação e, gostaria de deixar claro, que obviamente não se trata de uma situação usual, mas mesmo assim o Coritiba criou todos os protocolos de saúde necessários e respeitou a individualidade de cada jogador. No meu caso, estou no Rio de Janeiro a pedido da diretoria, que está preocupado com a minha segurança nesse transporte em aeroportos até Curitiba”, afirmou em entrevista, nesta terça-feira (26), ao programa Balanço Esportivo, da Rádio Banda B.

Cronograma e reforços

Eduardo Barroca também falou sobre a impossibilidade de criar um cronograma definitivo, já que ainda não há uma previsão de retorno dos jogos oficiais no Brasil. “Ainda não temos um norte cronológico de datas nos campeonatos estadual e Brasileiro, então o Coritiba tem priorizado, neste memento, a individualidade de cada jogador, na saúde física e mental de cada atleta. Também estamos conversando muito sobre o elenco e temos monitoramos o mercado, ao mesmo tempo que ‘olhamos para dentro’ do clube, com a possível prospecção de jovens jogadores, mas não posso adiantar nada pois esse é um assunto interno”, admitiu.

Além das atividades em home office, Barroca também disse que passou vídeos de seleções como a da Holanda, na Copa de 1974, e do Brasil de Telê Santana em 1982, duas das equipes com o futebol mais vistoso da história. “Tenho trabalhado esses materiais para mostrar a importância do futebol bem jogado e que, nem sempre, o resultado é o mais importante”, revelou o treinador.

Balanço da temporada

O ‘professor’ coxa-branca também fez um balanço positivo de seu trabalho, desde a chegada em janeiro de 2020. Em doze jogos, o Coritiba venceu sete vezes, empatou três e perdeu apenas duas. “A parada foi muito prejudicial, especialmente para nós, que terminamos com a melhor campanha da primeira fase e vínhamos de um jogo muito positivo contra o Athletico. Sem contar que, com portões fechados, não teremos o apoio do nosso torcedor, que estava sendo um grande diferencial na campanha”, analisou.

“Mas, com a minha experiência de categorias de base, posso dizer que a ação do treinador em estádio vazio é mais efetiva, porque você consegue se comunicar de forma mais clara com os jogadores”.

Cinco substituições

Acerca da decisão da Fifa em acatar cinco substituições, apenas durante o período da pandemia, o técnico coxa-branca aprovou a medida, que auxiliará na transição de atletas nos primeiros jogos do Parananense. “Vemos muitas lesões nesse retorno do campeonato alemão e acredito que essa alteração ajudará muito na flexibilização da atuação de jogadores. Mas ainda creio que o tempo de preparação, neste retorno aos treinos presenciais, será o diferencial e a atitude adequada para evitar lesões musculares”, completou.