O final de Coritiba 1×1 Paysandu, no último domingo (7), foi marcado por gritos da maioria dos torcedores que estavam no Couto Pereira pedindo por Alef Manga. O jogador, que segue suspenso pela participação no esquema de manipulação de jogos, segue sendo protagonista do Coxa mesmo impedido de entrar em campo. A manifestação dos torcedores coloca a direção de futebol sob pressão, mas converge com uma mudança de estratégia do staff do camisa 11.

A crise do Coritiba explodiu por conta de um dos mais importantes articuladores do “fica Manga”. Com uma postagem atacando o executivo de futebol William Thomas, o advogado Jeffrey Chiquini expôs a disputa de poder entre o ex-CEO Carlos Amodeo e o diretor técnico Paulo Autuori. Coincidência ou não, a postura do integrante do staff de Alef Manga ajudava Amodeo, que queria ser apontado como fiador da permanência do atacante no Coxa.

Mas o tiro saiu pela culatra, Paulo Autuori foi muito fortalecido pela Treecorp e Carlos Amodeo mandado embora do Coritiba – mas já arrumou emprego no Vasco. Notando o mover das peças, antes mesmo da saída do CEO o staff de Alef Manga foi mudando o posicionamento. Chiquini, que servia de porta-voz ao lado de influenciadores digitais, tentou “colar” a imagem de William Thomas a Amodeo, sem criticar Autuori. No dia da demissão, ainda tentou-se vender uma possibilidade de a dona da SAF manter todos, mas a Treecorp já tinha definido o seu lado.

Manga se movimenta pelo Coritiba

Após a demissão de Amodeo, o nome de William Thomas não foi mais citado por nenhum integrante do staff de Alef Manga. Mantém-se o lobby pela permanência do atacante no Coritiba, mas sem ataques a dirigentes. Afinal, uma possível continuidade do jogador no Alto da Glória passa diretamente por Thomas e por Paulo Autuori. Na última postagem que fez sobre o assunto, Chiquini apenas repetiu o “fica Manga”, sem citar mais ninguém.

E em entrevista à RPC, o empresário do jogador, Caio Tércio, citou nominalmente o executivo de futebol do Coritiba. “O que temos de concreto é o fato de o William Thomas ter expressado diretamente e pessoalmente ao atleta em sua chegada e, posteriormente, que conta com ele na recondução do Coxa à Série A. Então, para nós, é muito claro o desejo do clube, hoje na figura do diretor de futebol, de contar com o Alef no elenco, uma vez que já externou isso ao atleta e não nos posicionou de modo diferente em nenhum momento”, disse.

Usando o carisma

Sabendo que a maioria da torcida do Coritiba quer a sua permanência, Alef Manga resolveu usar o seu carisma. No domingo, o jogador parou o carro na rua Mauá, ponto normal de reunião dos torcedores, e logo foi cercado. Ouviu pedidos pelo retorno, abraços e saudações – tudo, claro, devidamente gravado por uma câmera. Resta saber se a postura pública do jogador e de seus representantes, apesar de evitar o confronto com Autuori e Thomas, não vai deixar ainda mais difícil a sua permanência .

Se o Coritiba receber uma proposta interessante para negociar Alef Manga, isto irá acontecer. O fato de Amodeo acertar com o Vasco já gerou especulações, mas não há absolutamente nada neste momento. Paulo Autuori e William Thomas, ao mesmo tempo, estão muito pressionados a reforçar o elenco na janela de transferências, que se abre nesta quarta-feira (10). No final das contas, meio que aos trancos e barrancos, o Coxa está virando refém de seu camisa 11.

Alef Manga cercado por torcedores do Coritiba.
Manga nos braços dos torcedores. Foto: Reprodução

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Pela permanência no Coritiba, staff de Alef Manga muda estratégia

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.